DUETO EM HOMENAGEM À POETA FERNANDA MARIA

 

 

EM HOMENAGEM À SAUDOSA POETAMIGA FERNANDA MARIA
 
Por que dizer adeus, quando
existe uma doce recordação?

Acabei de receber a notícia da partida de nossa querida
amiga, a poeta e artista Fernanda Maria...
Procurando algo para homenagear a querida amiga,
dei com os olhos neste dueto escrito em 30/11/2004.
E repito a pergunta feita:
"Por que dizer adeus, quando existe uma doce recordação?"
E a doce recordação que nossa já saudosa artista nos deixa,
são suas lindas formatações, e seus poemas revelando a poesia
que ela levava em sua bela alma.
Fernanda Maria, fique bem, participando da
ACCL (Academia Celestial de Ciencias e Letras),
poetando ao lado de nosso querido Amigão...
ADEUS
Fernanda Maria
 
Lá longe no horizonte,
o sol vem aparecendo
enchendo de encantamento,
a  terra molhada que   seduz.
e o   mar    fica incandescente
com   cascatas  silentes 
filigranadas  de luz. 
E  na terra,   
as rosas sacodem as pétalas ,
abrindo-se  com paixão-
Já  vem  o perfume do resedá...
A cigarra canta
saudando   o sol,
saudando a vida.
Eu, uma   abelha sem  mel,
fico cismando  :
Porque os rouxinois
amam no seu  chilrear ?
E eu sem minha flor , 
tão  calada...
sem uma  aria
de despedida?
E o vento voa,
e com ele o  mar e o céu...
Pelo oceano e  firmamento,
quero  divagar 
bem devagar,  aos poucos,
Ouvindo os sons do mundo,
rogando pra ele me levar  pra   você,
porque,
preciso  de acalanto
no manto  de seus  braços,
ao menos uma vez mais,
tenho tanto pra contar! 
Você  vai aparecer  porque,
são tantas coisas pra falar...
tanta     estoria  pra lembrar...
Lá onde o mar e a terra
se encontram 
e misturam-se ao céu ,
vamos nos encontrar numa nuvem,
rompendo   o mar e a terra.
o vento voa , levando-me a você
juntando nossos braços,
em mil abraços,
sua boca em minha boca,
eu preciso guardar .
Leva -me  ao céu,
por esta  noite,   meu amor!
preciso do seu adeus.
Fernanda Maria
10/11/2004
****************
DOCE RECORDAÇÃO           
Marcial Salaverry
 
Doce recordação...que alegra o coração,
trazendo de novo aquela mesma emoção...
aquele breve momento... aquele gesto de carinho...
aquele simples beijinho...
aquela mera promessa de amor.
Ficou como uma doce recordação...
ficou na lembrança... ficou no coração.
Nem sempre podemos ter o que queremos...
mas lembranças doces sempre teremos...
Bons momentos que não devem ser esquecidos,
pois não foram momentos perdidos...
Foram momentos de felicidade,
que deixaram saudade...
Saudade de algo que não se completou...
não estava preso e se soltou...
Enfim... momentos para sempre lembrados...
Doce recordação de carinhos trocados...
De algo que deixou saudade...
mas que trouxe felicidade...
Por que pensar em adeus,
se o momento é para até breve?
Se ainda nos queremos,
por que pensar em adeus?
 
Marcial Salaverry
30/11/2004

 

Marcial Salaverry//Fernanda Maria (in memorian)


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados