DUETO COM OLAVO BILAC - VELHAS ÁRVORES//VELHAS PESSOAS -

 

 

Lendo o soneto Velhas Árvores do Mestre Olavo Bilac, que me
perdoem os puristas, mas me atrevi  a compor um soneto
em resposta, com a inversão das rimas do Mestre, e fazendo uma analogia
de árvores com pessoas.
Submeto-me ao julgamento dos amigos...
Osculos e amplexos,
Marcial


VELHAS ÁRVORES//
VELHAS PESSOAS 
Olavo Bilac /
Marcial Salaverry
 
Olha essas velhas árvores, mais belas,
Do que as árvores novas, mais amigas,
Tanto mais belas quando mais antigas
Vencedoras da idade e das procelas.

 Para vencer da idade as procelas,
são idéias das mais antigas,
que confidenciamos às pessoas amigas,
que desejam sempre estar mais belas...
 
O homem, a fera, e o inseto, à sombra delas
Vivem, livres de fomes e fadigas;
E em seus galhos abrigam-se as cantigas
E os amores das aves tagarelas.
 E ouvindo as velhas tagarelas,
sempre entoando as mesmas cantigas,
mais aumentam nossas fadigas,
cansados das vãs palavras delas...
 
Não choremos, amigo, a mocidade!
Envelheçamos rindo! Envelheçamos
Como as árvores fortes  envelhecem;
 Na realidade, todos envelhecem,
mas sabendo viver, que envelheçamos
com um sorriso, como na nossa mocidade...
 
Na glória da alegria e da bondade,
Agasalhando os pássaros nos ramos,
Dando sombra e consolo aos que  padecem!
 De certos achaques e ataques todos padecem,
mas mesmo cansados, nos ampa...ramos,
contando com uma mão forte, cheia de bondade...
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados