AUTO DESTRUIÇÃO - PARTE 2

 


Um importante adendo sobre o tema em questão...
Osculos e amplexos,
Marcial
AUTO DESTRUIÇÃO – Parte 2
Marcial Salaverry

É muito sábio dizer que quanto mais vivemos, mais aprendemos, e que sempre precisamos estar atentos para novas luzes que surgem, melhorando nossos conhecimentos, e, principalmente, ter a humildade necessária para reconhecer que é impossível para qualquer pessoa, deter o conhecimento absoluto. Sempre haverá alguém que nos possa ensinar ou esclarecer algo sobre alguma coisa.
A respeito do Bom Dia que falou sobre os malefícios da “Auto Destruição”, recebi de uma amiga muita querida que prefere ser chamada de L’Inconnue, um aparte muito interessante, cujo teor transcrevo a seguir:
“Amigo, talvez não tenha experiência no assunto que vou abordar, ou não tenha convivido com os "doentes da alma". Não é a posição de defesa ou medo de ataque que causa a depressão. A depressão é uma doença física (provada cientificamente) que tem variadas fases e sintomas. Muitas vezes o doente nem sabe que está com depressão. E assim passa como irritadinho, mal-educado, atacante ferrenho, imaginando que o mundo é ruim de todo e que pode ser atacado a qualquer instante, não tem vontade de conviver porque não consegue viver com harmonia, pois seus neurônios estão em desordem. Só desejo esclarecer este ponto porque você se referiu a depressão como conseqüência e não como causa.”
Informando-me melhor sobre o assunto, vi que L’Inconnue tem toda razão em seu aparte, pois realmente pode-se entrar em depressão, sem que se saiba, e conseqüentemente, sem submeter-se a um tratamento adequado.
Quantas vezes encontramos em nosso caminhar pessoas que classificamos  de imediato como mal humoradas, e que vivem “de mal com o mundo”. E as evitamos, “porque ninguém tem nada a ver com seu mau humor”, porque “não somos obrigados a conviver com pessoas assim...”
Assim catalogadas, tais pessoas são discriminadas, o que fatalmente irá aumentar sua irritação, sua depressão. E nem ela mesma sabe que precisa de um tratamento. Muitas vezes rejeita essa idéia, por não atinar com a causa de seu mau humor constante, de sua “raiva do mundo”. Em seu pensar, as pessoas não gostam dela, porque não a entendem. Mas, convenhamos, entender, quem há de?
É preciso saber definir portanto, quando uma cara feia à nossa frente é proveniente de alguém que efetivamente não aprecia a companhia de outros seres humanos, ou se pode ser alguém em estado depressivo.
Tratamento adequado para a depressão existe, e, é claro, é feito por especializados no assunto, pois podem ter diversas causas. Pode ser problema neurológico, pode ser devido a algum trauma de infância, pode ser enfim, provocado por “n” motivos. E apenas um especialista poderá detectar a real causa, e trata-la adequadamente.
Muitas vezes a dificuldade está em convence-la de que precisa de um tratamento. É preciso mostrar-lhe com habilidade e persuasão que essa agressividade não irá leva-la a nada, e que se tratando adequadamente, poderá desfrutar de um agradável convívio com todos. Não é fácil, mas vale a pena ser tentado.
Agradeço a L’Inconnue pela informação prestada, pois veio mostrar que nem sempre pessoas autodestrutivas o são porque o querem , mas por estarem mentalmente enfermas, passíveis de tratamento por conseguinte, e assim, fiquei sabendo de algo que ainda não sabia.
Esperando assim que possamos ajudar a alguém, termino desejando UM LINDO DIA.
  

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados