ANALISANDO AMOR VIRTUAL E AMOR FÍSICO.

 

 


Vamos entender a diferença que pode haver entre amor virtual e amor físico...
Um amor virtual pode ser uma realidade, e o amor físico pode ser apenas virtualmente um amor...
Osculos e amplexos,
Marcial

ANALISANDO AMOR VIRTUAL E AMOR FISICO
Marcial Salaverry
 
Amor, seja vivido no plano virtual, seja no plano físico é, sempre foi, e sempre será o amor, aquele sentimento que tanto faz pessoas se unirem, como se desunirem. Desperta uma gama de sentimentos inexplicáveis, que todos querem explicar ou entender, mas ninguém consegue...
 
Estão vinculados ao amor coisas como atração, desejo, carinho, amizade, ódio, rejeição, ciúme, desprezo, carência, entendimento, diálogo, vida e morte. E isso tudo, vinculado ao amor, que é causa e efeito de tudo. Vive-se do, para e com o amor.  E morre-se também.  E mata-se também.  Tudo em nome do amor, por mais paradoxal que possa parecer...

Agora surgiu um novo tipo de amor, chamado de amor virtual, que é o amor vivido sem que as pessoas se conheçam fisicamente.  Não é tão novo assim, pois já houve época em que os amores eram decididos por interesses familiares. Casamentos eram arranjados. Noivos conheciam-se apenas na hora do casamento. Isso também pode ser considerado amor virtual, ou ainda, virtualmente como amor. Pois os noivos apenas ouviam referências sobre  aqueles que lhes eram destinados. De corpo e alma, eram completos desconhecidos.  E pode-se dizer que muitas vezes deram certo. A mágica do amor acabou acertando as coisas.

Sobre amor virtual, meu guru L’Inconnu passou-me algo mui explicativo, dito por sua irmã, L’Inconnue:
“Muitas pessoas, estão preferindo ter um amor virtual, porque causa menos sofrimento. Mas será que o verdadeiro amor não tem que ser compartilhado em todos os momentos da vida? Estar perto tocar e ser tocada, sentir a presença do seu amado naqueles momentos mais difíceis da vida.  Será que o amor virtual realmente completa a vida da pessoa?"

Lendo isso, digo que em minha opinião, um amor virtual pode ser encarado como uma fuga, principalmente para quem já sofreu com amores reais, pois por mais forte que possa ser o envolvimento virtual, nunca haverá aquele compromisso que os amantes assumem com um relacionamento físico, que se traz muita alegria e prazer, tambem causa muita dor e sofrimento, efeitos não tão sentidos no amor virtual.

Vejamos as diferenças que podemos encontrar entre amores virtuais, e os ditos reais:
Num amor físico, conhecemos, e sentimo-nos atraídos pela aparência física. Conhecemos a superfície das pessoas.  Depois vai se conhecer a alma, e se não houver uma simbiose anímica, começam a surgir as famosas incompatibilidades, que podem ser o motivo alegado para muitas separações, enquanto que num amor virtual, desde que haja sinceridade de parte a parte, conhecemos a alma primeiro, analisamos a maneira de pensar, e assim, as afinidades ou desafinidades são descobertas.   Certamente existe o risco de haver uma rejeição física no conhecimento. Mas é bem menor do que o risco da rejeição anímica no amor físico.

O amor sempre tem que ser compartilhado. No amor virtual, sente-se a carência da presença física, e cria-se esse desejo, que pode ser satisfeito. No amor físico, pode se criar a carência da união espiritual, do entendimento entre ambos. E aí, já é mais difícil um acerto.

Quer dizer que nenhum amor presta? Nada disso. O amor, seja ele físico ou virtual, depende basicamente de sinceridade, de diálogo, de doação. E de muito respeito de parte a parte, e dessa maneira, com esses ingredientes, temos o amor perfeito, que além, de tudo, é uma linda flor.

Ocorre que no amor virtual, o distanciamento favorece mascarar-se certas situações que ao vivo e a cores fica mais difícil. Por isso diz-se causar menos sofrimento.  Mas quando não dá certo, ou se um dos lados não estava bem intencionado, causa tanta dor quanto qualquer outro amor fracassado.

A conclusão a que se pode chegar, é simples. Sempre precisamos ter algum amor, viver algum amor, mesmo que seja uma boa amizade. Alguém a quem possamos dedicar nosso carinho, e de quem possamos receber também. Se não for o amor, aquele amor que arrebata sentimentos, que seja ao menos uma amizade. Mas uma amizade  leal e sincera, em quem possamos confiar, com quem possamos conversar, dialogar. Com quem possamos contar em momentos de tristeza ou de alegria. Seja no virtual ou no real, mas que seja um sentimento sincero, com um legítimo sentido de afeição, a mais pura e desinteressada que exista. E que seja sentido e vivido em reciprocidade, algo que é fundamental em qualquer tipo de relacionamento, algo que pode permitir que sempre se pode viver com felicidade, UM LINDO DIA, que poderá trazer luz, paz, amor, amizade para nossa vida, algo que pode se obter sendo AMIGOS PARA SEMPRE...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados