O QUE É SER DEPUTADO

 

Vamos falar de algo que está fazendo muita falta...
Consciência eleitoral...
Osculos e amplexos,
Marcial
 
O QUE É SER UM DEPUTADO
Marcial Salaverry

Aproxima-se a época das eleições, e com ela, a malfadada propaganda gratuita no rádio e televisão, tomando espaço da programação habitual (que não anda lá grande coisa...), e apresentando um blábláblá sem fim de candidatos que apenas sabem prometer o que jamais sequer tem a intenção de cumprir.
Precisamos analisar direitinho em quem votar ou mesmo, se valerá a pena em algum deles votar. As decepções sempre são tantas, que dá vontade de sugerir a todos que simplesmente anulem seus votos, para mostrar que todos eles merecem nosso repúdio, pelo não cumprimento de tudo aquilo que prometem.
Prometem tudo. Assumem compromissos que forem necessários para ganhar alguns votinhos. Fazem qualquer tipo de acordo que lhes possa garantir alguma possibilidade de eleição.
E não é para gente assim que deveria ir nosso voto. Devemos saber em quem votar.
Vamos então procurar analisar o que é ser um deputado.
Para ocupar um lugar em uma Câmara de Deputados, seja Federal ou Estadual, dizem que é necessário ser um político. Mas não é esse o requisito básico. Pelo contrário, tal cargo deve ser ocupado preferencialmente por apolíticos, que sejam honestos. Por pessoas que já tenham demonstrado pelo menos vontade de trabalhar correta e decentemente. Acredito que ainda exista alguem por aí com tais e retrógradas idéias.
Os políticos de carreira já trazem certos vícios de eleições passadas, e nem sempre vem com a disposição adequada para trabalhar efetivamente em benefício da população. Geralmente apenas se preocupam com seu próprio benefício, pois já conhecem as mutretas do cargo, sendo quase vital a injeção de sangue novo.
Chega a ser imprescindível uma certa renovação, que poderá trazer pessoas com mais disposição para o trabalho em prol do povo. Mas se torna necessário que o povo aprenda a fiscalizar o trabalho dos seus representantes. É preciso entender que  deputados deveriam ser os verdadeiros representantes do povo, procurando defender o  direito de seus eleitores, mas todos sabemos que não é isso o que acontece...
Devem ser pessoas que venham imbuídas do firme propósito de fazer algo por seus semelhantes, que em seu currículo exista algo de sólido para que possa merecer nosso voto, e que não seja como certas "raposas" da política, aqueles políticos de carreira, que a cada eleição já vão pensando apenas em beneficiar seus correligionários, pouco se importando com todas as promessas feitas à época das eleições. O interessante é que sempre se repetem, e sempre levam a massa ignara a dar-lhes seu voto. Esse é o chamado "voto de cabresto", uma das maiores pragas nacionais.
Pode-se dizer que não é muito fácil encontrar pessoas assim, com esse propósito de um trabalho honesto, pois, uma vez lá dentro, acabam por se "enquadrar no sistema". Aliás, se não houver uma renovação total e completa, os chamados reeleitos, saberão mostrar aos calouros as vantagens que poderão auferir, e, nesse caso, resistir, quem há de? E aquele que resistir,
fatalmente será "queimado" por seus pares.
Contudo, sempre existem candidatos (as) cujo passado recomenda. Aqueles que em sua vida publica sempre fizeram algo em benefício de algum segmento da população, e que sempre mostraram disposição para o trabalho, nunca se acomodando com situações.
É preciso saber analisar a vida pregressa de quem pretendemos colocar numa Assembléia Legislativa, ou na Câmara Federal, para não nos arrependermos depois.
Portanto, vamos dar chance para quem já mostrou sua disposição em fazer algo em benefício de alguém. Alguém que fez algo para ao menos tentar melhorar as condições da vida de seus semelhantes.
Ou pelo menos alguém cuja plataforma eleitoral não esteja cheia de promessas absurdas, prometendo resolver todos os problemas da Nação. Basta aquele que se proponha a trabalhar em prol dos problemas regionais a principío, e nacionais depois. Não adianta prometer que vai resolver a situação da divida externa, ou do desemprego, nem tampouco a cura da aids ou do câncer, que são problemas que fogem da sua alçada. Deputados devem se ater aos problemas de seu Estado, estudando  como resolve-los. E tentar faze-lo.
Vamos então ponderar, e procurar conhecer quem é aquele que nos pede o voto. É preciso eleger quem queira fazer algo pelos direitos do povo, e não apenas resolver sua vida e a de seus familiares, empregando-os na Câmara, como é usualmente feito.
Depende de nós, ao exercermos nosso direito ao voto, saber quem eleger.
Precisamos começar a ter um mínimo de consciência política para tentar moralizar a coisa pública.
Como votar. Aprender, ou não aprender, eis a questão.
Nessa esperança, desejo como sempre, UM LINDO DIA.


 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados