VAMOS FAZER AMOR

 

 


VAMOS FAZER AMOR
Marcial Salaverry
 
Inicialmente, é preciso analisar o que significa o ato que se chama, "fazer amor", pois é preciso considerar, que o amor é algo que existe em nossa alma, é inato, e não pode "ser feito". Na realidade, o que se costuma chamar por "fazer amor", é a prática do ato sexual, que na verdade, pode ser feito com ou sem amor.
O amor, na realidade, é algo mais que o simples ato sexual, pois pode não existir amor quando simplesmente fazemos sexo, sem aquele envolvimento amoroso.
É preciso ter alguma magia no toque, além do simples apalpar do corpo da parceria.
Fazer sexo com amor, é algo como um encontro de energias, e não o simples encontro de corpos, que se entrelaçam e se interpenetram durante o sexo. Deve haver carinho, suavidade, e até mesmo respeito para que se possa sentir o momento do prazer com um doce e real prazer, que deve ser mutuamente sentido.
É importante que haja uma entrega total durante o ato amoroso, e não apenas uma simples participação, algo como um fazer parte do outro, deixando de ser "o meu prazer", para ser "o nosso prazer". Ambos os parceiros devem fazer a entrega total naquele momento mágico, e isso só pode ser conseguido, se houver um envolvimento recíproco.
Fazer o sexo, pura e simplesmente, será uma simples satisfação para o corpo. Algo muito prazeroso, é claro, e que faz parte da vida, mas que talvez deixe uma certa sensação de vazio depois do prazer atingido.
Mas fazer o sexo com amor, quando ambos os parceiros sentem o mesmo amor, será uma satisfação para a alma, dando aquela gostosa sensação de plenitude depois de se chegar ao prazer, e sempre provocando o desejo de "mais uma vez..."
O prazer meramente sexual é algo efêmero, e que terminará por ser esquecido, por mais intenso que tenha sido aquele momento, pois foi produto de uma paixão, de uma atração momentanea.
Contudo, o prazer obtido quando os parceiros se amam, é algo que jamais se esquece. Aquela entrega total e completa, mesmo que não se repita, sempre terá cadeira cativa nas recordações dos parceiros.
Portanto, há que se reformular conceitos. Amor é amor, sexo é sexo...
E, logicamente, quando o sexo é feito com real amor, sempre será UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados