APENAS COISAS DA JUVENTUDE

 

  
Desde que o mundo é mundo, sempre a juventude foi refratária ao modus vivendi dos mais velhos, e é esta a causa de todas as modificações que vem acontecendo em nosso velho mundo...
Sempre os jovens são contrários ao "status quo vigente..."
Osculos e amplexos,
Marcial

APENAS COISAS DA JUVENTUDE
Marcial Salaverry

Com o correr do tempo, podemos constatar que algo que é imutável por mais que passe o tempo, por mais que tudo na vida evolua, por mais que se viva, e que assim como foi ontem, é hoje, e se-lo-á amanhã, é o choque entre gerações, é a rebeldia da juventude contra o status quo vigente. Analisando a vida, é fácil chegar-se à conclusão de que sempre que se fala em desvios de conduta dos jovens, alguns mais apressados justificam, colocando a culpa na televisão, no computador, nas redes sociais, ou nas famosas “más companhias”, sem atentar para o real motivo, que é a evolução da espécie humana, que é o desejo dos jovens de algo modificar.

No meu tempo em que a culpa foi atribuída aos filmes de James Dean, aos filmes de rock-and-roll, como "Sementes da Violência”, que lançou um jovem que iria incitar a juventude "a fazer besteiras", um certo Bill Halley.  Isso sem falar num “jovem pervertido”, chamado Elvis Presley, execrado por muitos pais da época, e agora ídolo de todos. E também claro, às "más companhias".  Essa história de “más companhias”, nunca ficou muito bem definido. Como saber quem é “má companhia”? Como saber quem poderá exercer sua influencia sobre quem?

Lembro-me dessa época, pois eu era um desses jovens que "só iriam fazer besteiras pela vida afora".  Não nego que as tenha feito, e quem não fez? Porém nada de condenável (pelo menos no meu ponto de vista, claro)  Muita farra, muito namoro, mas nada de drogas, apenas "Cuba Libre", ou "Samba em Berlim..."  Naquele tempo era chique fumar maconha, claro que para quem não sabia de seus efeitos.  Quem gostava de uma boa leitura sabia disso. E conhecendo bem o efeito que as drogas fazem no organismo, basta um mínimo de bom senso para fugir delas. Já naquela época havia muita literatura sobre o assunto. Sempre tive o bom senso necessário para manter distancia dessas coisas viciantes...

Não podemos nos esquecer de que já fomos jovens, e tivemos essas mesmas atitudes dos jovens de hoje, ou seja, contestação e desejo de mudanças. Faz parte da natureza, essa recusa em aceitar o que nos é passado pelos mais velhos.  Os jovens sempre tiveram espírito contestatório, e essa é uma das razões pelas quais o mundo sofreu tantas transformações.  Já é famosa a frase: "Sua experiência não serve para mim...” Mas com inteligencia, podemos muito bem utilizar a experiencia dos que já viveram a e na vida, sempre tendo cuidado nas escolhas...

Na verdade, o que se deve levar em conta, é que a realidade é bem outra. O que tenho notado, é que está faltando o famoso diálogo entre pais e filhos.  Muitos pais se esquecem de que, ao dar o primeiro vagido, a criança já requer atenção.  Acontece que as atribulações da vida moderna estão tirando o tempo de lazer familiar. E muitos pais, por comodismo, preferem limitar-se a atender todos os pedidos dos filhos, dando-lhes todas as facilidades, e tirando o gosto das conquistas batalhadas.

Considero de capital importância que sempre se dê atenção aos filhos, que sempre se dê a devida orientação, explicando à exaustão porque certas coisas como cigarros, bebidas e drogas devem ser evitados. Eles devem estar sempre bem a par do assunto. Não podemos nos esquecer também do chamado "sexo livre". Muitos jovens fazem sexo apenas para fazer sexo, e ter prazer, esquecendo-se de seus efeitos secundários e “contra indicações”. Não levando em conta o que pode acontecer. E como acontece...

Educação sexual é um tabu tão grande, que por vezes, em conversa com jovens, eles reclamam de seus pais, porque não querem falar sobre o assunto.  Por que será que é tão difícil para certas pessoas falar sobre sexo com os filhos?  Uma coisa tão natural e simples, mas que deve ser tratada em casa, onde se pode e se deve explicar claramente um assunto tão importante.

Algo também muito importante, é, através de muito diálogo, mostrar a importância que a religião desempenha em nossa vida.  Penso que não se deve impor esta ou aquela religião, enfiando-lhes certos dogmas pela cabeça adentro,  mas sim da necessidade de se ter Fé, ou mesmo acreditar que existe uma força superior, que de certa maneira pode nos dar um alento para melhor enfrentar os problemas da vida. Certas coisas devem explicadas através de diálogo, mas jamais impostas, com a famosa frase :"É assim, porque é assim..."

Educação dos filhos é uma coisa muito séria, e que não pode ser jogada apenas nas costas das Escolas.  Os Educadores fazem sua parte, mas a coisa toda tem que começar em casa.  A Escola é um complemento, e não pode e nem deve ser encarada como Fonte Principal, que, repito, é o Lar.  Os pais têm que desempenhar a contento sua importante parcela na educação dos filhos.
Pais despreparados, geram filhos problemáticos.  Faltando a orientação doméstica, é muito mais fácil para o jovem enveredar por caminhos tortuosos, por vezes sem volta, provocando a célebre pergunta: "Onde foi que errei? Dei tudo para ele, e ele me apronta essas coisas..." Na verdade, deu sim, mas deu QUASE tudo, deu  tudo o que ele pediu de bens materiais, mas deu-lhe carinho e atenção também? Esse é o ponto nevrálgico do problema. Ou será que apenas se limitou a colocá-lo no mundo e deixou sua educação por conta dos "tios" e "tias", mestres que devem dar Educação, e não ensinar a viver, o que é obrigação dos pais.

Li um artigo muito interessante sobre maternidade, que termina com a seguinte, e muito linda frase, de autoria do meu grande amigo e guru L’Inconnu.
“A integração plena entre duas pessoas que se amam é a fusão de suas essências em um novo ser: O FILHO”. 

Só que a coisa não termina aí, pois esse novo ser é uma vida que começa, e que deve ser bem direcionada. Pensem nisso.

A quem a carapuça servir, espero que ainda esteja em tempo de rever posições.

Diálogo é o segredo, e claro, UM LINDO DIA também faz parte, e é o que desejo a todos, filhos, pais, avós, bisavós, tataravós...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados