DOIDIM PRA MODI SI CASÁ

 

 
DOIDIM PRA MODI SI CASÁ
Marcial Salaverry
 
Aravejasó, cê tá doidim pra modi si casá,
ieu tô pensandu cocê si ajeitá...
Tô nas lonjura,
mai sempri querendu
pertindocê ficá,
fazendo aquelas bobagi,
aquelas gostosa bestera,
cocê percisa conhecê...
Dondi cotô, fico só
bulindo c'as ideia,
falando sem querê falá...
doidim pra ti fazê si paxoná,
casidiqui paxão é um trem bão,
é trem feito pruamô vivê...
Tô aqui doidim prá ti bejá,
c'as mão prá ti carinhá...
Si achegui pra mi conhecê,
i trais teu chêro na bagagem...
Tenhchêro de mato,
daqueli mato donde
nói vai podê munto si amá...
Socê quisé pó chamá ieu,
socê pensa qui num vô,
ieu vô sim, ara si vô...
Dijeitomanera, queru perdêocê...
Só queru vivê maiocê pra toda vida...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados