É AMOR DECERTO

 


É AMOR DECERTO
Marcial Salaverry
 
Quando a noite está chegando,
qual gato manhoso o amor desejando,
como se fosse um gato vadio,
que vai sentindo da amada gata o cio,
fecha os olhos que a presença percebem...
E quando os olhos se abrem 
feito janelas para o mundo
o coração bate forte e fundo,
e assim, com esse quente pulsar,
é pela janela aberta, um convite para entrar...
Pensamentos sorrateiros desejam o prazer,
mesmo na ausência, intensamente viver... 
Ainda que seja em pensamento,
que faz da ausência um tormento,
é possível cessar o lamento,
quando chega aquele momento
do encontro acontecer...
Chegou a noite tão esperada,
e o amor segue pela madrugada...
E quando, finalmente os corpos se deixam
cair sem resistência nos braços de Morpheu,
sonham-se os mais lindos sonhos de amor,
revivendo a paixão vivida com fervor...
E são lindos os sonhos com o amor vivido...
E assim, Morfeu vai se contentar,
apenas em contemplar os corpos a se amar...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados