MEUS DEVANEIOS

 

 

MEUS DEVANEIOS

Marcial Salaverry

 

 

 Por ti sentia um amor constante...

E em meio a carícias dementes,

traduzindo um desejo delirante,

falando de amor para ti somente...

Apenas queria amar-te,

e então, já imaginando total felicidade,

sequer  poderia imaginar que haveria dores...

Sentindo do amor total necessidade,

era minha real felicidade,

acompanhar-te aonde fosses...

Apenas queria te amar,

e em meus devaneios só a felicidade buscando,

via  a estrada amena, doce e sem dores,

toda ornamentada de flores...

Todos com carinho se davam as mãos,

apenas de amor e amizade falando...

A Natureza, o mar, a humanidade,

desejam apenas a felicidade...

Não existe vencedor e nem vencido,

não considerando nada perdido...

As lágrimas, sempre respeitadas,

enquanto as carícias eram desejadas,

em busca da tal da felicidade...

Nos meus devaneios a doce loucura era paixão,

aquele amor louco que entontece a razão,

invadindo a alma e tirando qualquer dor.

A paixão que dá vida ao coração,

colocando minh'alma à sua disposição,

fazendo do amor uma experiência fascinante,

não deixando margem para lamentos,

para viver as paixões flamantes,

sempre incendiando os sentimentos...

Meros e delirantes devaneios,

que à luz da realidade

acabaram com o sonho de felicidade...

 

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados