O QUE SERÁ A FRATERNIDADE HUMANA?

 

 


Vamos tentar resgatar o que ainda pode existir de Fraternidade na humanidade,
para tentar impedir sua extinção total e completa...
Com certeza vale a pena tentar, pelo menos...
Osculos e amplexos, Marcial

O QUE SERÁ A FRATERNIDADE HUMANA? 
Marcial Salaverry
                 
Cabe bem esta indagação, pois descobriu-se que existem alguns artigos em extinção no mundo, e entre estes, a Fraternidade Humana é que mais está perigando desaparecer de vez, tantas são as demonstrações de intolerância que vemos por todos os cantos, e chega a ser estarrecedor o descaso com que a vida humana é encarada.
E o que mais chama a atenção, é que esse terrível desprezo pelos mais comezinhos sentimentos humanitários, já está ficando a cada vez mais banalizado.  As pessoas, além de não ligar para a vida de seus semelhantes, e nem mesmo da Natureza, também estão desprezando a própria vida.
Li uma frase de autoria de uma das personalidades que mais se preocupou com a vida e o bem estar de seus semelhantes, esquecendo-se da própria, tendo enfrentado as maiores perseguições em defesa dos direitos humanos (dos reais direitos humanos, ou seja, simplesmente o direito de ir e vir.). Falamos de Martin Luther King que, entre outras belas mensagens, deixou-nos esta:
 "Aprendemos a voar como pássaros, e a nadar como peixes, mas não aprendemos a conviver como irmãos." 
A verdade é que se nem mesmo irmãos de sangue se entendem, que se poderá dizer então,  entre pessoas não aparentadas. A verdade, é que temos  de aprender a conviver como irmãos amigos, já que aos olhos do Amigão, somos todos iguais. Na teoria, também deveríamos ser iguais perante a Lei, mas, a realidade é bem outra.
Tal sentimento, que  já era atual em sua época, e o é muito mais agora, quando assistimos estarrecidos a incríveis demonstrações de desprezo pelos mais simples princípios de respeito à vida humana, com essa inconcebível sucessão de atentados terroristas, eliminando vidas humanas nos mais diversos lugares do mundo.  Mata-se pelo prazer de matar, sem sequer saber quem vai morrer...
Em menor escala, no nosso dia a dia, assistimos sempre a demonstrações semelhantes, apesar de não ter tanto impacto.  Por exemplo, quando vemos a maneira com que certas pessoas dirigem no trânsito, agindo de uma maneira totalmente irresponsável, provocando acidentes que ceifam vidas e inutilizam pessoas. Isto é apenas um exemplo.  Não vale a pena enumerar tudo o que se faz de criminoso, pois todos conhecem até demais, pelo noticiário policial.
Pretendo apenas, chamar a atenção das pessoas, para a necessidade, neste momento, de "parar o mundo porque eu quero descer", pois é chegada a hora de uma profunda reflexão, de repensarmos atitudes, de voltarmos nossos pensamentos para coisas mais elevadas (não estou falando do custo de vida, e nem do dólar...). Temos que voltar a conversar com Alguém lá de cima, temos que escutá-Lo, e ver onde estamos errando. Temos que repensar muitas coisas, se realmente quisermos saber o que é viver...
O que se torna imprescindível,  é que se esqueçam pequenas diferenças, pequenos ódios, e até mesmo os grandes, porque estamos vivendo um momento muito delicado, em que uma união se faz necessária, é chegada a hora de uma reflexão profunda, de uma meditação visando reencontrar os verdadeiros valores da vida, que são baseados em Paz, Compreensão, Perdão, Sentimentos Humanitários, embora muitos perguntem o que essas palavras podem significar...
Tivemos exemplos gritantes sobre aonde o ódio exacerbado leva as pessoas, com essa série de  atentados nas mais diversas partes do mundo.  Até que ponto mentes perturbadas podem chegar em seus insanos desejos de uma retaliação descabida, de uma vingança insana.  Não se pode imaginar o que se passa na cabeça de quem comete insanidades como essas, mesmo porque possivelmente nem os proprios terroristas sabem exatamente o porquê daquilo que estão fazendo. Apenas saem matando a torto e a direito, satisfazendo baixos instintos bestiais.
Reduzindo às questões meramente pessoais, mais vale a pena relevar-se certas coisas, do que arquitetar planos de vingança e justiçamento pessoal.
Assim, podemos aproveitar tais acontecimentos lamentáveis para repensar muitas atitudes, esquecendo rivalidades, desentendimentos, mesmo quando não se pretender reatar laços rompidos. Simplesmente seguindo seu caminho em paz. Vivendo e deixando viver.
A raiva, o ódio, são péssimos conselheiros, e nos levam muitas vezes a atitudes irrefletidas. Tivemos alguns exemplos nestes últimos tempos. Evitemos a repetição disso,  em nossa vida.
Um pouco de luz em nossa vida, permitindo que este seja UM LINDO DIA...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados