CONTO POETICO - LUCIMARA, MAS QUE SAFADA

 

 

LUCIMARA... MAS QUE SAFADA
Marcial Salaverry

Essa tal da Lucimara,
na verdade, não tinha vergonha na cara...
Sob pretexto de melhorar de vida,
resolveu ser "mulher da vida"...
A tal de Bela da Tarde,
fazendo as coisas sem alarde...
Despertando sua sensualidade,
atraida pela facilidade
com que o dinheiro entrava,
e assim, cada vez mais se afundava...
Alfredo, como bom corno manso,
vendo que sua mulher faturava sem descanso,
resolveu também se aproveitar,
e até deixou de trabalhar...
E assim vão vivendo...
Ela, com o corpo faturando,
e ele de seus ganhos se aproveitando...
Corno sim, mas tendo sua compensação,
mas veja só que situação...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados