PEQUENA HOMENAGEM A SAMPA

 

 

 



Vai aqui uma pequena homenagem a Sampa,
e aos seus filhos queridos,
Adorinam Barbosa e Demonios da Garoa...
Marcial Salaverry e Marilene Cypriano
Texto extraido de uma homenagem a Sampa,
publicada em 25/01/2004.
Música :   Trem das Onze
Autoria de Adoniran Barbosa um paulistano autêntico
e um dos maiores senão o maior sambista da cidade de São Paulo
com Demônios da Garoa um símbolo de São Paulo

Com estas imagens e com esta música que é paulistana da gema encerramos a
São Paulo Antiga para entrarmos  na  São Paulo Moderna , a São Paulo de hoje a cidade que não pára , a cidade que continuou humana e hospitaleira, sempre acolhendo todos aqueles que a procuravam, trazendo disposição para o trabalho, ajudando em seu crescimento.
A rede viária foi totalmente remodelada, permitindo que a cidade não parasse totalmente, já que as fábricas de automóveis não paravam de despejar mais e mais veículos, em um trânsito sempre caótico, apesar de todas as remodelações, de todos os "minhocões", viadutos, avenidas, que foram abertos.
Os velhos e superados bondes que sempre foram acusados de atravancar o trânsito, terminaram por ser retirados de circulação.  Para substituí-los, e para não fazer a cidade parar de vez, começaram a rasgar suas entranhas, implantando um moderníssimo sistema de metrôs, que atualmente liga praticamente toda a cidade.
Apesar do transporte coletivo ser em sua maior parte feito por dentro da cidade, o transito continua o mesmo caos de sempre.
Parece que o paulistano não consegue viver sem seus gigantescos congestionamentos.
Marcial e Marilene

Do velho e saudoso Bonde
Do velho e saudoso Bonde, restou a saudade... Quem quiser conhecer o que é, ou melhor, o que foi um dos mais românticos meios de transporte que tivemos, tem que ir a um museu, ou então a Santos, onde pode-se fazer um romântico passeio histórico em um sacolejante bonde aberto... Uma delicia de passeio turístico...

Aos modernos trens do Metrô
Aos modernos trens do Metrô que atualmente cortam São Paulo de cabo a rabo, num inteligente sistema de interligação. O projeto de construção do metrô, foi do Prefeito Francisco Prestes Maia, mas ficou engavetado por décadas, por escusos interesses políticos.
Apenas quando São Paulo estava quase parando, as autoridades acordaram e resolveram desenterrar o projeto do metrô. A política sempre atrapalhou o progresso.

São Paulo ficou assim, transformada numa autêntica selva de pedra. Seus imponentes arranha-céu dominam completamente a paisagem. Viadutos, largas avenidas, túneis, elevados, não conseguiram, e talvez não consigam jamais dar vazão ao tráfego sempre intenso. Como São Paulo não pode parar, a indústria automobilística também não para...
Mesmo assim, ainda encontramos grandes áreas verdes, que conseguem sobreviver à poluição, como o Ibirapuera, Trianon, Cantareira.
Apesar dos pesares, consegue-se viver em São Paulo, e os paulistanos dizem não trocar São Paulo por cidade nenhuma do mundo... Salvo quando precisam respirar um pouco de ar puro...

 O QUE É SER PAULISTANO
Marcial Salaverry

São Paulo, cidade cosmopolita,
aqui se misturam todas as raças e credos...
Todos são paulistanos, sejam ou não aqui nascidos...
Mas que a cidade adotaram...
Para aqui vieram, e se apaixonaram...
De todos os cantos do mundo,
e também lá do sertão,
emprestando sua colaboração
para este crescimento profundo...
Paulistano é aquele que aqui veio para trabalhar,
sabendo que São Paulo não pode parar...
São Paulo não tem preconceito,
e quer de todos o respeito,
que queiram esta cidade amar,
e apenas pensem em trabalhar...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados