A MAIS ANTIGA PROFISSÃO

 

 

A MAIS ANTIGA PROFISSÃO
Marcial Salaverry

Desde que mundo é mundo, sempre existiram mulheres que viveram de vender (melhor dizendo, alugar) seu corpo.

Prostitutas, meretrizes, decaídas, rameiras... Hoje em dia os nomes mudaram, são elegantemente mais conhecidas como garotas de programa, acompanhantes, massagistas (não se pode incluir aqui as massagistas realmente terapêuticas). Outros nomes, mas a finalidade é uma só, ou seja emprestar seu corpo para que outros obtenham prazer, e eventualmente elas tambem...

Fazem por necessidade, pois acreditam que é uma maneira de ganhar dinheiro com facilidade. Com o tempo é que vão descobrir o que isso pode representar em sua vida.

Muitas tentam sair, mas a facilidade com que o dinheiro entra, sempre é um lembrete quando a situação aperta. E logo descobrem que precisam aproveitar enquanto são jovens e lindas. Esquecem-se de que a juventude fenece. Então pensam, "vamos aproveitar enquanto podemos."

Algumas dizem que "juntam a fome com a vontade de comer", pois enquanto ganham sua vida, praticam algo de que gostam muito, o sexo. Se bem que a promiscuidade acaba tirando o que possa haver de prazer...

Para muitas, o começo foi doloroso, entregaram-se ao namorado, e os pais acabaram por expulsá-la de casa. Soltas no mundo, e por falta de outras opções, terminam por adotar a "vida fácil" como profissão.

Algumas, descobrindo a dificuldade em mudar de vida, dizem preferir morrer a continuar nessas condições, e acabam colocando fim à vida.

Mas precisam disso para viver. Nada mais sabem fazer, além do sexo, e nessa vida, sonham com a possibilidade de seu amor encontrar, mas não é fácil para um "cliente" aceitar tirar uma dessas meninas da profissão, pois sempre vai ficar aquela possibilidade de uma "recaída" da jovem, ou mesmo pode acontecer o constrangimento de encontrar com alguns dos antigos "clientes".

Ela gostaria de poder ter uma vida normal, namorar, sair com quem quiser, mas não pode escolher, pois precisa ir com quem paga, e tem de transar, goste ou não. Muitas vezes vêm-se na triste situação de "fazer amor" com pessoas por quem chegam a sentir repulsão.

É muito difícil manter-se nessa vida sem certo tipo de "ajuda" à qual são obrigadas a recorrer. São os "protetores" que, na verdade são os rufiões que as exploram, exigindo grande parte de seus ganhos, para poderem continuar trabalhando. Como tem ligações com policiais corruptos, obrigam-nas ao pagamento, caso contrário, poderão ser presas.

Convenhamos, é uma situação quase odienta. Ela lamenta ter começado. Não resistiu à tentação da vida fácil, do luxo, roupas bonitas. O outro lado da moeda é feio.Com a divisão de seu faturamento, pouco lhe resta.

No desespero de sua situação, muitas vezes entregam-se à bebida, e às drogas que as ajudam a suportar a situação, mas muitas vezes acabam com sua vida, ou com a possibilidade de uma recuperação. Ossos do ofício.

Tentam mudar de vida, o que é muito difícil, pois a coisa parece que entra na corrente sanguínea, parece que deixa marcas pelo corpo. Frequentemente encontros com antigos clientes causam transtornos, e,  ao surgir uma dificuldade financeira, logo pensam em "dar umas saídas" para equilibrar as finanças. Enfim, não é fácil mudar de vida.

E ainda há que considerar que, fichadas pela polícia, não conseguem empregos condizentes, e sempre serão chamadas de prostitutas, não será fácil livrar-se da marca. Tentarão sair, mas dificilmente conseguirão.

É preciso haver algo que se possa fazer em favor daquelas que pretendem se reerguer na vida.

Sempre poderão ter uma nova chance para recomeçar a viver dignamente.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados