IRRITAR-SE... será que vale a pena?

 

 

IRRITAR-SE... será que vale a pena?
Marcial Salaverry

Constantemente nossa paciência é posta à prova, pois sempre encontramos pela frente, situações que tendem a provocar nossa irritação.
Pequenos exemplos podem ser citados, como o tubo de pasta de dentes que ejeta mais pasta do que queremos, o rolo de papel higiênico vazio numa hora crítica, o cachorro do vizinho que passou a noite latindo, os gatos que resolveram fazer uma serenata amorosa, o leite que derrama no fogão, o conjugue que roncou demasiadamente e não nos deixou dormir, aquele vizinho que resolveu chegar bêbado em casa e brigou com a esposa. Cada um desses motivos pode ser suficiente para nos estragar o dia, se não soubermos controlar adequadamente os nervos, se não soubermos usar adequadamente a energia que temos em nosso interior.
Será que valerá a pena irritar-se com coisas assim? E com o trânsito engarrafado, ou com aquele guarda que resolveu ficar de plantão justamente no único dia que, por estarmos atrasados, resolvemos passar um farol vermelho, e com tantas outras pequenas grandes coisas que podem estragar nosso dia. Cada um terá algo para acrescentar à interminável lista de coisas que existem apenas para nos chatear...
Em situações análogas, ou em outras semelhantes que encontramos quase sempre, há que se levantar a velha máxima de que muitas vezes é mais interessante "engolir um sapo", do que perder horas discutindo apenas para provar que estamos certos. Concordo que por vezes enfrentamos situações que nos fazem chegar em nosso limite. Na última hora, quando formos "chutar o pau da barraca", ainda cabe um último pensamento, indagando-nos se não iremos machucar o pé quando chutarmos o dito cujo pau. E se não será mais conveniente digerir o sapinho, ao invés de entrar em uma possível e inútil polêmica...
Muitas vezes, somos provocados gratuitamente, por pessoas que adoram criar polêmicas. Nesses casos, penso que a melhor resposta sempre poderá ser o silêncio, que poderá fazer o outro lado pensar um pouco e ver que não vale a pena insistir, pois será perda de tempo, já que não compraremos essa briga. Muitas vezes, situações que poderiam tornar-se críticas, evitam-se dessa maneira.
Sempre caímos no velho chavão de que precisamos uma dose extra de ponderação, bom senso, paciência, e, principalmente, bom controle dos nervos. Já vi algumas boas amizades nascerem por uma discussão ter sido evitada dessa maneira, bem como já soube de grandes amizades
que terminaram porque nenhum dos dois soube controlar-se.
Muitos crimes acontecem, porque não houve a ponderação necessária, por exemplo, em um pequeno acidente de trânsito. Os motoristas começaram uma discussão sobre quem teria ou não razão. Depois descobriu-se que ambos estavam errados... E o final foi triste.
Valeu a pena a irritação?
Não teria sido melhor direcionar essa energia toda para o bem, ao invés de uma discussão estéril?
E com esse pensamento, poderemos fazer de cada dia sempre UM LINDO DIA...
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados