O TEMPO DE SEU AMOR

 

 

Aproveitando os primeiros versos das estrofes do soneto de Carlos Drumond de Andrade, "Amor e Seu tempo",
inspirei-me para o soneto "O Tempo de seu Amor".
Osculos e amplexos,
Marcial
 

 
O TEMPO DE SEU AMOR
Marcial Salaverry
 
"O amor é privilégio de maduros,"
que sabem realmente seu significado,
e com sentimentos, os mais puros,
entregam-se a um amor apaixonado...
 
"É isto, amor: o ganho não previsto,"
algo que chega, vem e nos domina,
nossos sentidos desatina,
mas de amar, jamais desisto...

"valendo a pena, e o preço terrestre",
jamais será perda de tempo,
o tempo que se viver vivendo um amor...
 
"Amor é o que se aprende no limite,"
não tem tempo e nem prazo de validade,
amor pode começar tarde, trazendo felicidade...

Marcial Salaverry

****

AMOR E SEU TEMPO
Carlos Drumond de Andrade
 

Amor é privilégio de maduros
estendidos na mais estreita cama,
que se torna a mais larga e mais relvosa,
roçando, em cada poro, o céu do corpo.

É isto, amor: o ganho não previsto,
o prêmio subterrâneo e coruscante,
leitura de relâmpago cifrado,
que, decifrado, nada mais existe

valendo a pena e o preço do terrestre,
salvo o minuto de ouro no relógio
minúsculo, vibrando no crepúsculo.

Amor é o que se aprende no limite,
depois de se arquivar toda a ciência
herdada, ouvida. Amor começa tarde.

Carlos Drummond de Andrade

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados