CERTOS PROBLEMAS COM O AMOR

 

 

 
CERTOS PROBLEMAS COM O AMOR
Marcial Salaverry

Os relacionamentos amorosos por vezes passam por algumas fases críticas, sempre gerando algumas questões que precisam ser bem resolvidas, mas nem sempre o são...
Os motivos são os mais variados possíveis. Pode ser uma simples crise de identidade, quando o relacionamento ainda não atingiu um certo grau de maturidade, e os parceiros não estão conseguindo assimilar bem a personalidade um do outro, e algumas discrepâncias podem perturbar o bom entendimento entre eles. Nesse caso, o importante é que haja um diálogo franco e honesto, onde ambos possam apontar o que agrada e desagrada na parceria. É possível eliminar-se essas arestas, desde que haja vontade para tanto. Havendo amor, ou se já houve um lindo amor, isso é fácil.
Algumas crises são desencadeadas por questões financeiras. A grana começa a encurtar, e as brigas a aumentar, quase na mesma proporção. Nesses casos, brigar não vai resolver nada, pode é agravar a situação, principalmente se um dos parceiros gostar de praticar prato ao alvo com o outro. Aqui, mais do que nunca, impõe-se um diálogo. A situação precisa ser analisada e equacionada. O triste, é que muitos bons casamentos se dissolvem por esse motivo. O que se deve evitar sempre, são agressões, sejam morais ou físicas. Não há desentendimento que justifique uma agressão.
Filhos também são causa de muitas discussões. As tradicionais acusações mútuas, como aquela de que só se dá atenção ao "monstro berrador", e vai por aí afora. Dizem-se muitas bobagens.
Mais do que nunca, aí tem que haver ponderação. A atenção que antes era só para o marido, agora forçosamente tem que ser dividida, e isto os maridos TEM que aceitar. Ainda mais que ela não fez a criança sozinha. Já que ele colaborou para concepção, nada mais justo que colabore para a criação, e que não seja  apenas com compreensão. Saber trocar fraldas ajuda e muito...
Vamos entrar agora no ponto mais critico, que diz respeito ao desgaste que fatalmente os relacionamentos duradouros provocam no casal. Muitas vezes há uma acomodação natural, e um dos parceiros, ou ambos, começa a ver no outro apenas aquele companheiro ali, ao alcance da mão e que aquele chamego de antigamente, aquele clima de namoro, aquele eterno conquistar da pessoa amada não é mais necessário.
Afinal, são tantos anos que estamos juntos, que não é mais preciso dizer "Eu te Amo"... Não é preciso aquele beijo melado, caramba, são tantos anos, e esse clima do "deja vu", pode provocar um afastamento mesmo que inconsciente.
É aí que mora o perigo, pois um dos conjugues pode encontrar um outro alguém que lhe dê todo esse carinho, e diga o que se quer ouvir, e isso pode mesmo provocar um afastamento irremediável, ou quase.
Ao sentir que está perdendo terreno no amor da pessoa amada, vem de início uma certa revolta, pois "afinal, foram tantos anos" e agora vem com novidades?
Vem aquela frustração, aquela mágoa, que poderá provocar situações muito desagradáveis, diálogos penosos, com acusações mútuas, que a nada levarão. Ao sentir a traição, o que se deve fazer é repensar tudo e, ao invés de acusações, é mostrar a exata extensão do amor que sente, pois, quem sabe é por julgar que esse amor havia fenecido que houve aquele interesse por uma parceria nova?
Existe um provérbio chinês, que li já há algum tempo, que mostra bem o que se deve fazer nesses casos. Vejam só:
"Me ame quando eu menos merecer, pois é quando eu mais preciso" (Provérbio chinês)
É exatamente nesse momento, que o amor deve ser posto a nu. Deve ser demonstrado em toda sua extensão. Justamente quando o parceiro aparentemente não estiver merecendo esse amor, pois está a ponto de buscar novos caminhos. Muitas pessoas simplesmente abrem a porta, e dizem, dentro de seu orgulho ferido: "Vai e não apareça mais". E manda seu amor para fora.
Muitas vezes o parceiro está indo apenas porque pensa que o amor já morreu. Mas ele está precisando desesperadamente desse amor. E não de outro.
E quando se chega nesse ponto, e existe o entendimento, com toda certeza, o amor ressurgirá em sua força total. Muitas vezes mais forte e mais intenso mesmo do que nos primeiros tempos.
E esse amor, que estava fadado a acabar, volta como o refluxo da maré em dia de ressaca, com força total, acabando com qualquer crise de relacionamento.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados