UMA FAMILIA BRASILEIRA NA ÁFRICA

 

 

Um dia resolvi ir para o Congo, com familia completa... E deu nisso...
Osculos e amplexos,
Marcial
 

 
UMA FAMÍLIA BRASILEIRA NA ÁFRICA

Marcial Salaverry

 

Quando alguém se propõe a viver em um país estranho, tem que estar pronto para o que der e vier, pois sempre teremos que nos adaptar aos usos e costumes vigentes nesse país, já que é impossível, que o país se adapte à nossa maneira de viver, o que parece lógico, não ?

Agora uma mudança radical como a que fizemos, realmente, revela um grau de insanidade mental, única condição que permitiria adaptação a usos e costumes tão diferentes dos nossos.  E teríamos que fazê-lo, se quiséssemos viver lá.

Logo no primeiro domingo, fomos ao “Libre Marché”, que era, digamos, a Ceasa de lá, e aconteceram os primeiros choques, pois os hábitos alimentares dos congoleses, eram demasiado peculiares para olhos ocidentais.  Vejam, mais ou menos, partes de seu menu, e que foram assistidos pelos 3 pares de olhos ávidos recém chegados:

Entrada: um gostoso sanduíche de Coca-Cola... Como ? Sanduíche de Coca-Cola?  Sim, basta pegar um pão, cortá-lo ao meio, e despejar a bebida nele... Qual o problema?

Acompanhamento: um nutritivo sanduíche de mandruvá... Mas, mandruvá?  Sim, mandruvá, vocês conhecem o mandruvá? Aquela lagarta que dá no pau podre?   Pois bem, é ela o recheio do sanduíche.  Cumpre salientar que são vendidas no mercado, vivas, lépidas e fagueiras, em cestos de bambu cheios de terra. O interessado corta seu pão ao meio, dirige-se ao vendedor, compra 2 ou 3 daqueles bichinhos apetitosos, claro que ainda vivos, e os coloca dentro do pão, e, voilá, eis um delicioso Mc Mandruvá... Apetitoso, não?

Prato Principal: O prato principal, que deleitava os congoleses, era (creio que é ainda), a XIKWANGA. Para quem quiser a receita, aí vai, em seus pontos básicos:

Inicialmente, pegue uma mandioca, e, após ralar. embrulhe-a numa folha de bananeira.  Em seguida, deixe ao sol para curtir, até ficar bem com aquele cheirinho delicioso de mandioca podre.  Tempere a gosto.  Eis o banquete, pronto para ser degustado, e se alguém quiser experimentar, esteja à vontade, mas por favor, não me convide, porque às vezes, relembrando as coisas de lá, ainda sinto aquele aroma penetrante no ar... Delicioso, e geralmente, essa delícia pode ser comido com acompanhamento de peixe seco ao sol.

Sobremesa:  Que tal, por exemplo, deliciosos siriris, sim é aquele mesmo siriri que conhecemos, aquele bichinho altamente incomodativo que vem atraído pela luz nas noites quentes.  Outra opção, são as deliciosas baratas, com recheio natural de creme chantilly... Muito nutritivas, bem, devo esclarecer que tais baratas não são tão repelentes quanto as nossas, pois são brancas, bem maiores, e assim, com bastante recheio... Talvez possam ser encontradas em lojas de produtos importados, mas se por acaso descobrirem, não precisam informar...      

Bem, após as rápidas pinceladas sobre os saudáveis hábitos alimentares dos congoleses, existem muitas outras particularidades que naturalmente despertam a curiosidade de qualquer pessoa, e prometo que voltaremos ao assunto...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados