FALANDO SOBRE FRATERNIDADE

 

 

FALANDO ALGO SOBRE FRATERNIDADE              
Marcial Salaverry

Vamos tentar entender o que seja a real Fraternidade, pois agora que está começando a época das festas de fim de ano, e como sempre nessa época do ano, essa palavrinha é muito lembrada, principalmente porque recebemos o tão esperado e cobiçado 13º salário, e todos desejam nos ajudar a gastar esse dinheirinho...
Por todo canto, só se fala em fraternidade, que devemos nos ajudar uns aos outros, que devemos pensar nos menos favorecidos, que isso e que aquilo. 
Mas, e no resto do ano? Aí é que o carro pega.  Por acaso é só em época de festas que devemos pensar e nos ocupar com os outros? Que devemos ser solidários e ajudar? Isso quer dizer então que aqueles que precisam de ajuda fazem uma poupança ajudatória, para não precisar de mais nada nos outros 11 meses?
É fato que, dentro do possível, podemos e devemos ajudar quem realmente precisa e merece.  E é aí que mora o perigo.  Saber quem REALMENTE é merecedor dessa ajuda.
O grande problema é que existe muita picaretagem nisso.  Existem centenas de entidades fantasmas que pegam uma lista telefônica e vão ligando para todos, pedindo ajuda para a entidade tal, que cuida de menores aidéticos (infelizmente, é o golpe da moda), para a entidade tal, que cuida dos traficantes necessitados, e vai por aí afora. Isso tudo sem falar da AAPC (Associação de Amparo aos Políticos Cassados).
Usam e abusam do espirito de fraternidade que ataca mais nesta época do ano. 
Quase todos estão propensos a colaborar, principalmente porque são sempre vozes simpáticas e amistosas que fazem as solicitações.  E o drama é esse: A QUEM AJUDAR?   É muito frustrante colaborar com uma instituição, verificando depois tratar-se de uma instituição  "fria". 
Portanto, quando tais solicitantes telefonarem, e se realmente for possível ajudar, é importante pedirmos o endereço, o telefone, nome, CIC e RG para averiguações.  E, antes de dar qualquer colaboração, termos o trabalho de verificar se a instituição realmente é séria, e até mesmo se existe de fato.
Fraternidade, sim, mas com justiça e para quem realmente precisa e merece.  Infelizmente existe muita vigarice feita em nome da fraternidade, usando e abusando da boa fé e do espírito natalino.
Fraternidade sim, mas não só no Natal, e sim durante todo o ano.  Seja com ajuda pecuniária, seja com ajuda moral, visitando asilos, orfanatos, levando um pouco de calor humano aos que realmente necessitam, e esses, na realidade,  necessitam durante todo o ano, e não apenas nas festas.


 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados