ACEITEMO-NOS COMO SOMOS

 

 


Nem sempre somos como gostariamos de ser...
Se somos como somos, conforme nossos cromossomos,
Será melhor que nos aceitemos, ou não?
Que fazer?
Saiba olhar no espelho e dizer EU TE AMO...
Osculos e amplexos,
Marcial
ACEITEMO-NOS COMO SOMOS
Marcial Salaverry

Um sinal dos tempos modernos, é a grande preocupação das pessoas com a melhoria de seu aspecto exterior, sempre querendo algo mudar, contrariando o que a lhe foi dado pela natureza.
Assim, estão sempre insatisfeitas com o que vêm na imagem refletida pelo espelho, e então gastam fortunas, fazendo operações plásticas, seja no rosto, seios, barriga ou bumbum, e ficam sempre procurando alguma coisa que está sobrando em algum lugar, e completar o que está faltando em outro.  É interessante notar que o desejo é sempre o ficar parecida com “alguém”. Por que não se assumir como é, e procurar melhorar alguns eventuais “defeitos” por outros métodos? Por exemplo, algo como ginástica, uma certa educação alimentar, que são alguns métodos naturais e que não apresentam riscos aparentes, desde que feitas com cuidado e discernimento.
Com tais intervenções cirúrgicas, correm riscos desnecessários (a imprensa noticia seguidos e graves problemas ocorridos durante operações plásticas), apenas procurando mudar a aparência.  Muitas vezes nada precisam mudar, mas querem fazer alguma coisa, e se entregam ás mãos nem sempre competentes de cirurgiões plásticos.  E existem muitos charlatões nesse campo muito rentável da medicina.
Além dos casos mais graves noticiados, soube-se de inúmeros outros em que a operação não deu certo, e outras operações foram necessárias para consertar os efeitos nefastos  da primeira, e que, analisando-se bem, não era necessária.
Entendo que se submeta a uma intervenção cirúrgica, somente em casos de real necessidade, pois os riscos que uma operação envolve, sempre são muitos.  Corrê-los desnecessariamente, por que? Para que? Por mera vaidade?
Penso que não devemos nos preocupar tanto com o aspecto exterior, pois este na realidade, é apenas o que aparentamos ser.  E nem sempre é um retrato fiel de nosso interior.
Aliás, sempre devemos ter presente que a beleza exterior é algo muito subjetivo, pois nem sempre o que é belo para uns, o é para outros.  Um pequeno exemplo, é a preocupação com a colocação de silicone nos seios para aumentar o tamanho.  E como ficam aqueles que encontram mais beleza em seios pequenos?  E os riscos inerentes a esse implante?  Pensem bem, se realmente valer a pena fazer isso, muitas vezes o tamanho dos seios corresponde ao corpo, e um implante siliconal acaba enfeiando o corpo ao invés de embelezá-lo, pois sempre dá pra perceber que não é natural, principalmente para o tato.
Na realidade, o mais importante é o que SOMOS internamente, e que é demonstrado por nossos atos, pelo que fazemos em favor ou contra os demais.  É aí que se encontra a verdadeira beleza de uma pessoa, ou seja, em seu interior. Tenha uma alma bela, e belo será seu aspecto exterior.
De nada adianta termos uma bela aparência, um lindo e recauchutado rosto, um corpo bem modelado, se temos um feio aspecto interior, que não nos deixa mostrar preocupação com a felicidade alheia, ou pior, se procuramos prejudicar os outros.
A beleza que deve ser cultivada é a interior, e para desenvolve-la, não é necessária nenhuma cirurgia corretiva.  Apenas precisamos cultivar a amizade, o amor, e não o desamor. Cultivar a solidariedade.  Procurar manter um clima de paz em nosso redor.  Olhar com simpatia nossos semelhantes, sem quaisquer preconceitos.  Claro que temos de estar atentos, evitando pessoas que se acerquem com más intenções.  Isso não é preconceito, é espírito de sobrevivência.
A felicidade é diretamente causa e  consequência da beleza interior.  Preservemo-la, pois.
E para cuidar um pouco mais da minha, desejo a todos, UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados