AUTOR DESCONHECIDO - DIREITOS AUTORAIS

 

 

Esse tal de Autor Desconhecido, também conhecido como "AD",
ou tambem como"L'INCONNU", é realmente algo como uma pedra no
sapato de todo e qualquer autor, vitimado por pessoas sem caráter...
Osculos e amplexos,
Marcial
 
AUTOR DESCONHECIDO... DIREITOS AUTORAIS
Marcial Salaverry

Sem dúvida nenhuma, uma das coisas que mais aborrece a todo e qualquer escritor, é encontrar algum texto circulando pela Internet com aquele incômodo “Autor Desconhecido”. Quando vê algo que escreveu assim circulando, a sensação de frustração é maior ainda, pois todo escritor considera toda e qualquer obra sua, quase como um filho. E, convenhamos, ninguém gosta de ver seu filho ser apresentado como “filho de ninguém”, “filho de pai desconhecido”. Soa quase como que “filho de qualquer coisa”...
Assim soa para qualquer escritor o nefando Autor Desconhecido.
Por que surge o talzinho? Quem retira a paternidade do texto? A história é mais ou menos a seguinte: Alguém vê um texto na Internet. Acha-o lindo, e quer repassa-lo para seus amigos. Teoricamente o mais fácil seria simplesmente clicar “Enviar para”, digitar o nome de seus amigos, repassando o texto como ele está, com a formatação em que está lendo, e, principalmente, com o nome de seu autor.
Isso teoricamente. Algumas vezes, pode achar que a formatação não está de seu gosto, e tenta modificá-la. E nessa tentativa, acaba apagando inadvertidamente o nome do autor. E repassa sem constar esse “pequeno e insignificante’ detalhe... Afinal, o que é um AUTOR? Simplesmente quem teve a oportunidade de escrever aquela coisa linda... E não vai fazer falta. O que interessa é o texto. Esquece-se do que cada texto representa para quem o escreve. É seu filho. É um filho da luta, e não da rima... Recomendo sempre a quem vai repassar, que nunca deixe de fora o nome do autor. Pense bem antes de apagá-lo, deliberadamente ou não.
Se deliberadamente, apenas mostra que está com uma certa inveja do autor, fazendo-se aquela pergunta: por que vou fazer propaganda do nome de quem não conheço? Simplesmente porque ele teve talento para escrever esse lindo texto que chamou tanto sua atenção. Existe um outro detalhe, que é a continuação do “crime”, ou seja, outras pessoas que igualmente apreciam esse mesmo texto, e que simplesmente o repassam. Já que recebi como AD, vamos seguir a corrente. Sugiro que pelo menos tentem uma consulta aos sites de busca, tais como uol, ou google, para tentar localizar quem poderia ter escrito aquele texto. Muitas vezes pelo titulo, consegue-se êxito nessa busca. Dá um certo trabalho, mas você poderá ter esse prazer de informar ao autor que encontrou seu filho desaparecido. Ele ficará muito feliz e lhe agradecerá. E poderá surgir uma nova e boa amizade.
Ao autor, quando encontrar um texto nessas condições, penso que deverá dirigir-se, sempre educadamente (por mais irritado que possa estar) ao último elo, informando que aquele texto que está sendo apresentado como filho de Pai Desconhecido, tem um pai que o ama muito (ou Mãe), e que espera seja feita a retificação.
Muitas vezes, quando encontramos um texto assim, já passou por outras mãos. O objetivo será tentar fazer o caminho inverso, até chegar a quem começou tudo, ou seja, quem teve a “luminosa” idéia de apagar o nome do autor, deliberadamente, ou não. Mas errou em fazê-lo. Seja por não conhecer direito o funcionamento da coisa toda, ou porque não gostou do nome do autor, ou porque não quis “fazer propaganda gratuita”. Pode parecer mentira, mas já me deram esse argumento. Apenas perguntei o que ele achava do texto. Disse ter gostado. Então o autor tem algum mérito, não? Merece que se lhe faça propaganda, mesmo que gratuita. E
que então o autor não estava ganhando nada para escrever. Apenas a satisfação de ver seu talento reconhecido.
Assim como, ao apresentarmos alguém a alguém, sempre citamos o nome do apresentado. Então, por que não apresentar a obra e seu autor?
O que não vale a pena, é brigar. É ser indelicado com quem errou. Ao ver seu erro apontado, reconhecerá mais facilmente se isso lhe for mostrado com boas maneiras. Claro que sempre depende da resposta, pois existem alguns Grupos que adoram repassar textos sem autores, apenas para não ter que pedir autorização ao autor. E se lhes apontamos uma “mancada” dessas, recusam-se a uma retratação, sabe-se lá porque. Isso já aconteceu com um texto
meu, Analogia do Beijo, repassado pelo grupo 1Bom Dia como AD. Apontei-lhes educadamente que o autor existe e está bem vivo, e eles se limitaram a dizer que assim haviam recebido. E ponto final.
Vamos colocar um pouco de Paz na Internet. A quem faz repasses, sugiro uma melhor atenção, sempre respeitando o nome do autor. A quem receber textos sem a devida identificação, que pelo menos tente encontrar o autor, já que gostou tanto do texto. E aos autores, por mais irritados que tal prática os possa deixar, vamos mais suavemente falar com quem está “na bola da vez”, pois nem sempre é o autor da façanha. E sugiro sempre que ao receber um comunicado de que um texto que repassou como AD tem autor, que o repasse novamente, esclarecendo o fato, e pedindo por sua vez para a pessoa que lhe repassou, que faça a mesma coisa. Assim, pelo caminho inverso, fatalmente chegará às mãos de quem começou tudo.
Vamos ter mais compreensão, e espírito de colaboração. PAZ NA INTERNET, gente.
E digo mais, tenhamos todos, sem exceção, UM LINDO DIA.
AUTOR DESCONHECIDO.... DIREITOS AUTORAIS – Parte 2
Marcial Salaverry

Devido à reação provocada pelo artigo em questão, vamos a um complemento, que já está se fazendo necessário, para dirimir dúvidas e mal entendidos. Vamos por partes, como nosso amigo Farah fez...
Autor Desconhecido:. Penso que todo e qualquer texto escrito tem um autor, cujo nome deve ser respeitado, e mantido em seus textos, não devendo ser retirado em hipótese alguma. Um argumento usado, que faz um certo sentido, é que muitas vezes o nome é cortado inadvertidamente, por culpa do próprio autor, que o coloca no fim do texto, e, no repasse, alguém seleciona o texto todo, sem reparar no nome que está mais abaixo.
Sugestão: Colocar o nome sempre junto ao título. Nesse caso, quem retirar o nome, o fará propositadamente, cabendo uma reclamação. Havendo colaboração dos autores e dos repassadores, diminuirá bastante o problema.
Formatação: Não existe respeito também aqui. Para criar certas imagens, as e os webdesigners gastam tempo e trabalho para criar os lindos desenhos que vemos circulando, seja nas HP, seja nas formatações. O que acontece aqui é trágico. Ao invés de se limitar a efetuar o repasse, respeitando, além do nome do autor, o nome do webdesigner que está assinando a obra, cortam tudo que possa identificar os autores, cometendo autênticos atentados ao talento de ambos os artistas. Com que finalidade? Sabe-se lá porque fazer isso. Seria muito mais simples, escrever uma dedicatória, e repassar como está, respeitando o trabalho de quem o fez. Por que essa amputação desnecessária, e, porque não dizer, criminosa? Sim... É um crime de lesa-arte.
Do repasse: Aqui vem a parte mais interessante. Na teoria, quem recebe um texto sem a identificação do autor, tanto poderá ter algum trabalho numa pesquisa junto aos sites de busca, como poderá devolver o texto a quem o enviou, solicitando o nome do autor, como poderá simplesmente repassá-lo. Todas as atitudes são corretas e válidas, dependendo de sua vontade. Afinal, ele recebeu assim, gostou do texto, e quer repassá-lo a seus amigos. Perfeitamente válida e correta sua atitude. Gostaríamos que fosse diferente, mas não podemos comandar a vontade das pessoas.
Quem teve a atitude condenável não é quem simplesmente repassa um texto, mas sim quem fez o aleijão. E é à consciência do iniciador da coisa que estou apelando, para que repense em suas atitudes. Afinal, não existe nenhum ganho com isso... Por que então “podar” o nome do autor? Por que retirar o nome do webdesigner? Por que alterar o trabalho de arte lá executado? Se não gostou, ou não está de acordo com a imagem que acompanha o texto, que crie uma imagem sua, colocando o texto nela e agora sim, poderá repassá-la com orgulho, desde que mantenha o nome do autor.
O que incomoda aos autores é ver seus trabalhos circulando como Autor Desconhecido. Vamos respeitar o nome dos autores.
O que incomoda aos webdesigners é ver seu trabalho violentado, e seus créditos retirados. Vamos, pois, respeitar o trabalho desses artistas, que tem o mesmo valor dos escritores.
O que incomoda às pessoas que gostam de repassar, é ter sua atenção chamada por estar repassando texto com autor desconhecido. Vamos respeitar seu desejo de dividir com os amigos os belos textos que lhes caem às mãos. É um direito que tem. E não tem culpa da coisa ter começado.
Só não se incomoda é quem começou a coisa toda, e é esse que deveria sentir-se incomodado, e é justamente a quem eu faço o apelo.
VAMOS, POR FAVOR, RESPEITAR OS TRABALHOS ORIGINAIS.
E, se quiser modificar algo que está na Internet, que tenha a ética de pedir autorização aos pais da criança para faze-lo. Não custa nada. Fica muito mais elegante. E são pouquíssimos os autores ou webdesigners que recusariam autorização para tanto.
Acreditando agora ter dirimido quaisquer dúvidas anteriormente surgidas, renovo meu apelo de PAZ NA INTERNET. Havendo boa vontade e bom senso, ficará muito melhor e mais gostoso navegar pela Internet.
Esperando por esse espírito de colaboração, desejo a todos UM LINDO DIA.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados