DEFININDO O "SER BRASILEIRO"

 

 

O que é ser brasileiro...
Na verdade, seja nascido aqui, ou no estrangeiro,
brasileiro é quem ama esta Terra Brasileira,
 e sua mística alma  hospitaleira... 
DEFININDO O "SER BRASILEIRO"
Marcial Salaverry 

“Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá, as aves que aqui gorjeiam, não gorjeiam como lá”.
Nem todos os brasileiros tem esse real sentido de amor por nosso País, e só se lembram de mostrar seu ufanismo patriótico nas chamadas "Datas Magnas", como o Sete de Setembro, ou então quando acontece um Campeonato Mundial... Então vamos tentar entender o que de fato, é "Ser Brasileiro".
Com plena e total certeza, para definir na realidade o que é "ser brasileiro", temos que voltar às nossas origens, lembrar de nossa História, de como os primeiros europeus aqui chegaram, e encontraram os autênticos “donos da terra” (agora ex-donos...), ou seja, os indígenas.
Há que se reconhecer que na verdade, o autêntico brasileiro, que pode ser assim considerado, por não ter sangue estrangeiro, é o índio puro, o silvícola,  que sempre aqui viveu.
 O branco, quando aqui chegou trouxe novos usos e costumes, e logo tudo se misturou...
 Portugueses, franceses, espanhóis e holandeses, e mais quantos navegantes aqui chegassem, deram início à grande miscigenação,  alguns vieram pacificamente, apenas pensando em trabalhar, e acabaram até constituindo famílias locais com as indígenas, começando o cruzamento de raças que iria formar o que se pode chamar de Brasileiro.
Outros vieram violentamente, apenas pensando em arrancar os benefícios que a nossa terra lhes poderia proporcionar, mas também acabaram deixando sementes aqui plantadas.
Depois vieram os africanos. Estes vieram forçados. Foram arrancados de seu torrão natal, e cruelmente escravizados. E com as escravas africanas os senhores feudais aumentavam mais ainda a mistura de nossa raça. Há que se dizer que as senhoras feudais também colaboravam para o crescimento da população inter racial.
Todos os que aqui chegaram,  também foram adotados, pois a terra brasileira tem um grande coração. Não tem preconceito de cor, raça ou religião.  Aceitou como brasileiros, os mamelucos, cafuzos, mulatos e mais quantos surgissem.
E depois, com o fim da escravidão, começou a grande imigração, completando o grande caldeirão, que seguiu cozinhando a grande sopa em que se transformou esta Nação.
E vieram alemães, poloneses, Italianos, asiáticos, árabes, judeus, gente do mundo inteiro, de todas as cores e credos religiosos.
Todos que aqui foram chegando, e ao País se integrando, foram ficando, e solidamente suas raízes fincando, formando famílias. E apesar de alguns problemas trazidos de seus países de origem, acabaram aderindo à “Democracia do Amor”, e as diversas colônias acabaram fundindo-se umas às outras. Continuam mantendo o respeito às origens, adaptando seus usos e costumes à realidade brasileira, que faz com que todos vivam em comunhão de idéias e ideais, terminando por formar uma raça sui-generis, pois não existe um biotipo para definir o “Brasileiro”. Pode ser branco, negro, moreno, loiro, pardo, amarelo, mulato, nisei, sansei, nãosei, enfim, pense em uma cor de pele, uma cor de cabelos, uma cor de olhos, e teremos um brasileiro. 
E daqui a pouco, teremos que pensar em ET’s... Se aqui chegarem, fincarão raízes, pois quem aqui chega, não consegue regressar, e quem daqui sai, sempre pensa em voltar. Pergunte a qualquer brasileiro que vive, ou que já viveu fora do Brasil. E disso sou testemunha viva.
E assim fica a dúvida... O que é ser brasileiro...Na verdade, seja nascido aqui, ou no estrangeiro, brasileiro é quem ama esta Terra Brasileira, e sua mística alma  hospitaleira...
“Minha terra tem palmeiras, onde canta o sabiá, as aves que aqui gorjeiam, não gorjeiam como lá”.
Palavras ditas por um brasileiro no exílio (Gonçalves Dias), e que refletem o que se passa na alma de todos que aqui vivem, e que por circunstâncias quaisquer saem do Brasil. 
Quem for brasileiro, que confirme, e que tenham sempre uma sucessão de LINDOS DIAS, confirmando amor pelo Brasil, em todos os dias, e não apenas no Sete de Setembro... E quem for brasileiro(a) que me abrace...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados