AMAR É CONSENTIR O OUTRO...sim

 

 
Desde que aprendemos a raciocinar, sempre existe uma incógnita: O que será o Amor?
Esta incógnita nos acompanhará pelo resto de nossas vidas, pois o Amor, apesar de ser uma palavra pequena, tem um sentido muito amplo. Significa muita coisa, além da atração entre homem e mulher.
Quando crianças, achamos que amor é o papai e a mamãe não baterem em nós. É sermos tratados com carinho e atenção e, principalmente, sermos atendidos em nossos menores desejos. Será isso o Amor? Claro que não, isso é mimo. Por vezes, uma palmada bem aplicada é sinal de amor...
Na juventude, apaixonamo-nos com frequência. Será Amor essa forte atração que sentimos por jovens do sexo oposto (às vezes até do mesmo). Nem sempre. Na maioria das vezes, é simples atração sexual, que é um dos caminhos para se chegar ao Amor, mas ainda não é Amor. Nem sempre o chamado "primeiro amor" é o definitivo. Outros surgirão.
Na maturidade, muitas vezes sentimos atração por alguém, seja por carência afetiva, seja por solidão, seja pelo motivo que for. Mas então, agora sim, é o Amor. Ainda não pode ser assim chamado esse sentimento que é originado basicamente por carências afetivas. Muitas vezes essas carências são criadas em nossa idéia, por certas atitudes de nossa parceria, que não sabe, ou não consegue demonstrar seus sentimentos. Então, julgamos que não somos amados, quando na verdade somos e até muito amados. Por que então não fazer diariamente nossa declaração de amor? Por que não dizer todos os dias "EU TE AMO"?
Enfim... mistérios da natureza humana. Amar e não conseguir dizer que ama...
Então... que raio de sentimento complicado e indefinível é esse tal de Amor? Será que existe mesmo? Existe sim, e é o sentimento mais belo que pode haver.
O Amor surge devagar, começa com o impacto inicial da atração física. Duas pessoas se vêem, sentem-se atraídas e iniciam um relacionamento. Antigamente se chamava "namoro". Hoje existe uma porção de nomes diferentes.
Nesse relacionamento há um contato mais íntimo, as pessoas se conhecem melhor, vão se descobrindo. Vendo afinidades e contrastes. Sentindo os defeitos um do outro. Essa descoberta é importante e deve ser feita com bastante isenção de ânimo, pois daí vai depender o futuro dessa convivência.
E isso é válido tanto para o amor físico, quando ambos vivem e convivem juntos, quanto para o amor virtual, à distancia, quando inexiste o contato físico, e são as almas que se entendem. Mais do que nunca é exigível uma sinceridade total e completa.
Claro que nem tudo é um mar de rosas. As pessoas tem "defeitos de fabricação". Alguns aceitáveis outros não. Esses defeitos que geram contrastes devem ser discutidos e analisados, para que se chegue a um consenso.
Quando existe o Amor recíproco, tudo fica mais fácil, pois haverá uma concessão de parte a parte. Ambos devem ceder em alguma coisa, pois se um só concordar com tudo, sempre haverá um sentido de supremacia no relacionamento e isso não é bom.
Então, já estamos chegando a um sentido da coisa. O Amor vai surgindo paulatinamente, vai crescendo à medida que ambos vão se descobrindo. Portanto é importante que exista sinceridade entre ambos. As divergências encontradas devem ser acertadas com muita franqueza.
O respeito também é muito importante. Não deve haver o prevalecimento de uma só voz. Ambos devem participar das decisões, sejam elas importantes ou não. Afinal, é um dupla afinada ou não? Por isso deve haver o respeito mútuo. A pior coisa é quando um dos membros reclama com outras pessoas apontando os defeitos do outro. Tais assuntos devem ser tratados tão somente entre ambos.
Vemos então que o Amor pleno e total não é um sentimento isolado, mas sim uma somatória de diversos fatores que levam a uma aceitação plena um do outro.
Essa aceitação, esse consentimento, deve ser mútuo. Sendo unilateral, fatalmente levará a desentendimentos futuros.
Amar é consentirem-se mutuamente.
É muito complicado chegar-se a essa conclusão? É e não é. Se existe mesmo um sentimento forte unindo duas pessoas, fica bem mais fácil chegar-se ao entendimento necessário.
Basta que ambos raciocinem e vejam que a convivência entre ambos pode ser muito boa, desde que exista um mínimo de compreensão e boa vontade para o "acerto de contas".
Esse é o motivo principal de muitos casais chegarem unidos ao fim da vida. O único liame que pode manter um casal junto por muitos anos é esse sentimento de Amor que foi solidificado nessa longa convivência pelo consentimento tácito entre ambos.
Por vezes surgem tempestades no caminho desse amor. Mas se ele foi solidamente plantado desde seu início, superará as procelas, e fatalmente ressurgirá mais forte ainda.
O Amor depende de tão pouca coisa... que acho estranho o fato de muita gente negá-lo.
Pode não tê-lo encontrado, ou então não ter sabido mantê-lo.
Alguns fatores que atrapalham, são a teimosia, o orgulho, que fazem com que "não se arrede pé" de seu ponto de vista.
Aí, a compreensão, o consentimento desaparecem, e com eles, o Amor.
Então, amorosamente, espero que vcs consintam que eu deseje UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados