PARA BEM USAR A FORÇA DA PALAVRA

 

 

Antes de criticar alguém, verifique se seu
telhado não é de vidro...
Reserve-se o direito de ficar calado,
pois tudo o que disser poderá ser usado
contra você mesmo...
Ósculos e amplexos,
Marcial
PARA BEM USAR A FORÇA DA PALAVRA                  
Marcial Salaverry
 
Para saber como bem usar a força da palavra, é preciso sempre entender que devemos meditar bem antes de criticar ou acusar outras pessoas, procurando fazer bom uso desse dom que temos, que é  A PALAVRA. Seja escrita ou falada, é uma arma que deverá sempre ser bem utilizada, e assim, sempre devemos meditar antes de atacar ou ofender quem quer que seja, mesmo que nos julguemos cheios de razão, pois para saber o que é certo ou o que é errado, é preciso jamais esquecer de que o que é certo para uns, será errado para outros, e vice versa. Tudo é questão de ponto de vista.
Não devemos jamais nos esquecer de que a palavra é um dom dado por Deus aos indivíduos ditos racionais.  Mas vemos tanta gente dizendo tanta coisa inconveniente, que começo a duvidar da racionalidade da raça humana, ainda mais sabendo-se que existem controvérsias sobre essa afirmação, de que apenas os seres racionais possuem o dom da palavra, pois os animais se comunicam entre si, e por vezes de uma maneira bem mais civilizada que os humanos, sendo essa comunicação, a "palavra" por eles utilizada.
Enfim,  são pontos de vista, e cada qual tem o seu, e deve ser respeitado.  Como devemos respeitar os alheios,  os nossos também deverão ser respeitados.
Um dos pontos em que o uso da palavra é mal direcionado, é justamente esse, que muitas pessoas tem, ou seja, tentar convencer a outrem, de que ele está errado, e que sua maneira de pensar é a correta.  Ora, se, “em cada cabeça uma sentença...”, sempre devemos respeitar o pensamento de nossos semelhantes. Pois nossos ataques poderão ser retrucados, e assim, por que criticar, condenando atitudes que a nosso ver são erradas? Erradas segundo nosso ponto de vista, mas corretas conforme opinião de outrem.
Principalmente em certos assuntos considerados tabus, quais sejam, política, religião, futebol, preferências sexuais, onde cada qual tem o seu jeito de enfocar o assunto.  Se quisermos que nossas idéias sejam respeitadas, deveremos aprender a respeitar  as idéias alheias.  É aceitável que se troquem opiniões sobre esses assuntos, cada qual expondo a sua, mas sem que haja a tentativa de convencer sobre  quem está certo ou errado. Uma conversa, um bate papo amistoso é melhor do que uma discussão sobre quem tem a razão.  Dentro dos respectivos pontos de vista, ambos estão certos, e ambos estão errados, e após uma troca de idéias, talvez alguém se convença de algo, mas isso deve ser feito sem que haja qualquer imposição.
Li em algum lugar, dito não sei por quem (talvez por L’Inconnu),  algo que vale a pena ser analisado. Vejam se não tenho razão: "Existem 3 coisas que não voltam atrás: a Flecha, a Palavra e a Oportunidade."
Sem dúvida alguma.  Após lançada, a flecha não pode voltar, nem sequer desviar-se do rumo dado.  Se a mira não foi correta, ao invés da maçã, acertará no nariz, sendo óbvio então, ter-se o máximo cuidado ao arremessarmos uma flecha...
Quanto à palavra,  é aí que mora o perigo, pois geralmente a língua é muito mais rápida do que o cérebro. E, em teoria,  essa é uma das vantagens do computador, pois você lê o que escreve, podendo analisar as besteiras ANTES de mandar em frente, embora tenha muita gente que adora escrever sem pensar nas consequencias que poderão advir daquilo que está escrevendo, mas quando falamos, não há tecla Del que resolva, pois a flecha oral já foi lançada, embora  sempre exista o recurso das famosa frase: “Pô... desculpa, não foi isso que eu quis dizer”, não era, mas disse.  Uma vez dito, dito está.  Uma frase ofensiva, por vezes jamais será esquecida. 
  É exatamente por isso que sempre é necessário ponderar-se bem durante alguma discussão, para que não se diga nada irremediável.  Por vezes um "não quero mais te ver na minha frente", é levado a sério, portanto, há que se usar o cérebro antes do que a língua.
Quanto à oportunidade, só se pode recomendar uma pequena coisa: nunca podemos descartar uma oportunidade que nos surge, antes de analisá-la profundamente, pois uma vez descartada, ela não mais voltará. 
Disso tudo, a única conclusão a que podemos chegar, é que sempre devemos  usar a ponderação, evitando atitudes precipitadas. 
Vamos usar a palavra de uma maneira pacífica, sem agressões. Devemos procurar enfatizar nossos méritos, sem denegrir a imagem de quem quer que seja.  Devemos tentar mostrar que somos bons em alguma coisa, ao invés de perder tempo tentando mostrar que alguém não sabe o que faz, antes de exigirmos que entendam que somos ls melhores. Na verdade, ninguem é melhor do aque ninguem. Cada qual em sua função, desde que faça bem feita é uma pessoa capaz. Um bom faxineiro pode ter o mesmo valor do que um bom advogado. Cada qual em sua função tem seu valor.
Se percebermos que alguém não faz as coisas corretamente, o que nos cabe fazer seria alertar essa pessoa de que está agindo incorretamente, ao invés de pura e simplesmente fazer críticas acerbas, apontando seus defeitos, pois defeitos todos os tem.  E todos notam facilmente, não sendo necessário que alguém queira ser o dono da verdade, criticando a torto e a direito determinada pessoa.  Geralmente o feitiço se volta contra o feiticeiro, e serão os seus defeitos que acabarão sendo notados por todos.
Certo de que todos têm direito a seu espaço na Terra (e abaixo dela também...), deixo aqui consignado meu desejo de que todos, sem exceção, tenham UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados