COMO BEM SOBREVIVER À TERCEIRA IDADE

 

Para bem entender e sobreviver à tão decantada "Terceira Idade", é preciso entender que por uma lei da Natureza, todos ficaremos idosos,  apenas não podemos permitir que a cuca envelheça...
Se fisicamente idosamos, vamos procurar deixar a alma jovem...
Osculos e amplexos,
Marcial

COMO BEM SOBREVIVER À TERCEIRA IDADE
Marcial Salaverry
 
A medida que o tempo vai passando, a idosidade vai chegando,  e sendo chamada por diversos nomes, tais como Terceira Idade, Melhor Idade, Fim da Picada... São estes alguns dos nomes dedicados às pessoas de larga vivência.
A melhor definição depende do estado de espírito de cada qual. Podem ser idosos, por terem a idade física, ou podem ser velhos na verdadeira acepção do termo, isso depende apenas de como está seu interior.
Sempre existem comentários sobre o assunto em questão, pois é algo que sempre dependerá da maneira de se encarar a vida, de como aceitar a passagem do tempo, e seus efeitos em nosso físico.
Muitas pessoas se recusam a admitir que podem ter problemas inerentes à idade. Isso não é sinal de "desenvelhecimento", como pode parecer, mas sim de uma teimosia injustificável, de alguém que se recusa a enxergar o óbvio, ou seja, que a idade traz problemas sim, e que eles devem ser cuidados e observados, para que o envelhecimento físico não passe para o espírito.
Existe uma diferença entre envelhecer, ou ser velho. Podemos  fazer com que o por do sol de nossa vida seja um lindo espetáculo crepuscular, ou então deixar que escureça cedo, terminando com a luminosidade que podemos e devemos ter na fase crepuscular de nossa vida.
É preciso transformar os conceitos geriátricos, deixando que a ternura tome conta de nosso espírito, transformando as frias letras e numeros que indicam o que se pode ou não fazer, numa gostosa poesia, sobre o que gostamos ou não de fazer... Basta que se aprenda a gostar do que o físico nos permite, para que a alma não envelheça junto com o corpo.
Se o físico não aceita os impactos de uma aeróbica, ou de uma partida de tenis, tamboréu, volei ou basquete, aceitará o suave impacto da natação ou da hidroginástica. Se não podemos correr, uma caminhada é bem recebida pelo organismo,  e não podemos nos esquecer de que a bicicleta ergométrica tem o mesmo efeito da bicicleta convencional,  no que diz respeito aos beneficios para o organismo.
Ao invés de lamentar o que se deixa de fazer, curtir o que se pode fazer. Não adianta chorar sobre o leite derramado. O que foi, foi, e o que será, talvez seja, o importante é o que É. Aqui e agora... O que se pode e o que se deve fazer.
A idade pode trazer paz, luz, alegria, bons amigos. Basta que saibamos curtir o que de bom a vida nos oferece. Temos mais tempo para curtir os bons momentos, já que não precisamos nos preocupar tanto com o futuro, e podemos viver melhor o presente, seja cuidando de um jardim, ou simplesmente caminhando sem pressa, podendo curtir cada momento de um gostoso passeio por um jardim ou uma praia. Prestando atenção a tudo que podemos ver. Sem temer a tristeza, nem a solidão ou mesmo o sofrimento, pois já aprendemos que são contingências da vida, e já vivemos de tudo um pouco.
As decepções vividas, levá-las  à sepultura, ao invés de as ficar lamentando, e enquanto houver vida, procurar sempre manter a qualidade adquirida ao longo do tempo.
Se não tivermos um  amor a nosso lado, podemos manter a ternura de nossa alma, deixando-a aberta para algo que aconteça, nunca esquecendo de apreciar o caminho percorrido, já que sempre haverá algo lindo para ser observado, pois a vida é uma fonte de alegria, oferecendo-nos  a água benfazeja da vida.
Sem qualquer sombra de dúvida, nossa caminhada rumo ao inevitável ponto final, pode ser triste, ou amena.  Depende de como a encararmos. Tanto podemos nos entregar à velhice, como podemos passar garbosamente pela idosidade.  Apenas precisamos saber nos adequar ao envelhecimento, perdão, ao idosamento, para conseguirmos desfrutar adequadamente o fato de ainda estarmos vivos. E é muito bom estar vivo. Devemos agradecer ao Amigão a cada novo dia que vemos nascer.
Podemos caminhar sem pressa curtindo cada momento, ou ficarmos parados esperando que o tempo cumpra sua marcha.
A vida deve ser vivida. Existe muita coisa ainda a ser feita, por mais idade que tenhamos, desde que a vontade não morra em nosso espírito.  E a única maneira de a mantermos viva, é permanecendo vivos, jamais nos entregando ao envelhecimento, porque este vai nos fixar num mausoléu.
Precisamos sempre manter acesa em nossa alma a chama da vida, tendo em nossos olhos essa luz interior que vai nos permitir melhor enxergar o mundo a nossa volta.
Se a idade nos trouxer problemas, é importante procurar as devidas soluções, tratando de enfermidades que porventura surgirem, jamais nos deixando abater.  Se por algum problema mais sério a luz começar a ficar bruxoleante, precisamos reagir, e atiçar o fogo novamente, pois se o deixarmos extinguir, simplesmente será o fim de tudo.
Acontece que a vida sempre vale a pena ser vivida, seja em seu  começo, no meio, ou no quase fim.  Fim  este que sempre poderá ser empurrado com a barriga, o que depende de nosso livre arbítrio, de nossa vontade de viver. Ou mesmo da força que tenhamos na barriga...E DA VONTADE QUE TENHAMOS DE DOAR A ENERGIA QUE TEMOS EM NOSSO INTERIOR, E QUE SÓ SE EXTINGUIRÁ NO FIM DE TUDO...
E com essa vontade firme no coração, desejo a todos, UM LINDO DIA.


 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados