COMO VIVER UM AMOR À DISTANCIA

 

Um amor à distancia vivido,
pelas almas é intensamente sentido...
Osculos e amplexos,
Marcial
                   
COMO VIVER UM AMOR À DISTANCIA
Marcial Salaverry
 
Tem quem ache impossivel, mas é perfeitamente possivel bem viver um amor à distancia, pois, desde tempos imemoriais a distancia nunca foi empecilho para que o amor se manifestasse.
Quando duas pessoas se amam de verdade, não existe a necessidade do contato físico para que o amor se manifeste e permaneça, pois o verdadeiro amor é mais espiritual do que físico.
O amor é um sentimento etéreo, e assim, não podemos vê-lo, mas apenas senti-lo.  Não se pode descrever como é o amor, mas podemos descrever toda a complexidade de sentimentos que ele desencadeia.  As revoluções que ele provoca em nosso interior.
Alguém me enviou uma frase linda, de autoria de Luiz Carlos Ijalbert, que diz o seguinte:
Aquele que inventou a distancia não conhecia a dor da saudade.
A distancia impede que eu te veja, mas não impede que eu te ame.
Um desses sentimentos provocados pela ausência da pessoa amada, se chama Saudade... E como essa tal de Saudade judia dos apaixonados distantes, judia, mas não mata.
O interessante é que a saudade provocada pela distancia, chega a ser um excelente teste, se não para cardíacos, mas para aferir a real força do amor existente.
Se for um amor como o de Penélope por Ulisses, não há fator distancia, nem fator tempo de ausência que poderá acabar com ele, ou fazer  com que  perca sua força, diminua de intensidade.  Muito pelo contrário, quase sempre um afastamento dá mais força para esse amor, pois a dificuldade para o contato físico, fará com que a parte espiritual do amor se desenvolva mais e mais.   E a força do amor está na alma.  É ela que comanda os sentimentos.  O cérebro comanda a razão, mas a alma comanda o coração.
Assim sendo, tem razão nosso amigo Luiz Carlos, ao dizer que a  “a distancia não impede que eu te ame...”.  Poderá, muito pelo contrário, fazer com que se ame mais ainda...
Claro que o amor exige também o toque físico, o contato dos corpos e é isso que dá vida ao amor, que faz com que ele fique cada vez mais forte. A necessidade de ver e tocar na pessoa amada, faz com que a saudade doa ainda mais quando a distancia é inevitável. Nesse caso, há que se ter uma força espiritual muito grande para que se possa sentir a presença do ausente.
Não estou fazendo apologia do amor etéreo, virtual.  O que estou querendo dizer é que a impossibilidade de um contato físico, por qualquer motivo que seja, não vai determinar o fim do amor.  Se duas pessoas  se gostam de verdade, e por uma razão qualquer não podem estar juntas, não vai ser essa distancia que determinará o fim desse amor, desde que se saiba administrar essa falta de contato físico, suprindo-o com a força do pensamento.  É uma medicação paliativa, mas que funciona.
Sempre haverá o desejo de retomar o convívio, de um reencontro.  Afinal, o amor não é só espírito, é matéria também, mas também é verdade que certas separações dão um toque romântico para o amor, fazendo despertar mais ainda o desejo, e chegam mesmo a ser benéficas.  Sim, benéficas, porque com a separação evitam-se certos atritos, certos desentendimentos provocados pela rotina do contato físico.
Tudo depende da força desse amor. A distancia sempre será um teste para aferir-se até onde alguém ama alguém...
E com esse amor todo, desejo que tenham UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados