EM DUETO COM O SONETO DE AMOR DE LUIS DE CAMÕES

 


O maravilhoso Soneto do Amor do
Mestre Luis de Camões, "chamou" a
inspiração para este dueto.
Peço vênia ao Mestre.
Osculos e amplexos,
Marcial

AMOR...
Luis de Camões/ Marcial Salaverry
 
Amor é fogo que arde sem se ver;
É ferida que dói e não se sente;
É um contentamento descontente;
É dor que desatina sem doer;
 
Fogueira que queima sem queimar,
apenas faz arder a chama do amor,
daqueles que sabem amar,
e amam, seja como for...
 
É um não querer mais que bem querer;
É solitário andar por entre a gente;
É nunca contentar-se de contente;
É cuidar que se ganha em se perder;
 
Amor que gera insatisfação,
não é na verdade, amor de verdade,
não faz bem ao coração,
e tampouco traz felicidade...
 
É querer estar preso por vontade;
É servir a quem vence, o vencedor;
É ter com quem nos mata lealdade.   
 
É simplesmente não saber amar,
pois amor exige carinho e respeito,
e é preciso saber fazer-se respeitar...
 
Mas como causar pode seu favor
Nos corações humanos amizade,
Se tão contrário a si é o mesmo Amor?   
 
 Se a razão a si mesma desconhece,
não poderá sobre o Amor regras ditar,
pois assim ele certamente desaparece...

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados