REALMENTE SOMOS TODOS NECESSÁRIOS

 


Todos temos uma missão a cumprir...
Apenas temos de descobri-la...
Para justificar nossa passagem por aqui.
Ósculos e amplexos,
Marcial

REALMENTE SOMOS TODOS NECESSÁRIOS
Marcial Salaverry

Ninguém pode ser considerado como inútil, aquele total e completo "zero à esquerda", mas uma das coisas que mais escutamos, é o lamento que muitas pessoas fazem a respeito de sua inutilidade para a vida. Principalmente idosos que já se consideram velhos, gostam muito de dizer essa frase: “Não sei o que ainda estou fazendo aqui... Não sirvo pra nada...”
A essas pessoas, permito-me lembrar uma mensagem que nos foi deixada por uma criatura com o espírito mais jovem que já vi, nossa sempre amada Madre Teresa de Calcutá:
"Por vezes sentimos que aquilo que fazemos não é senão uma gota de água no mar. Mas o mar seria menor se lhe faltasse uma gota."
Dito isto, dito tudo. Todo e qualquer ser vivente tem sua utilidade para o bom andamento das coisas neste nosso Universo. Desde o mais insignificante dos insetos, até o mais importante estadista.
Basta que se procure, e facilmente será encontrada sua utilidade. Os animais conhecem perfeitamente qual é a sua parte no ciclo universal da vida, e a fazem direitinho, sem que ninguém
lhes precise ensinar seja lá o que for, pois o instinto lhes diz o que fazer, e eles seguem sem quaisquer problemas, cumprindo sua missão.
Apenas o ser humano, talvez por ser dotado do livre arbítrio, e do poder do pensamento (se bem que os animais têm raciocínio mais exato que o nosso...), se dá o direito de questionar os instintos naturais de bondade, carinho e amizade com que todos nascemos, e procuram sempre confundir a ordem natural das coisas, promovendo destruição daquilo que deveriam conservar.
Claro que existem honrosas exceções, que existem pessoas com o pensamento voltado apenas para o bem (nossa Madre Teresa é um desses exemplos). Assim como os cientistas, que passam sua vida em pesquisas buscando cura para as doenças que nos afligem, é outro exemplo clássico. Como o é também a ação de voluntários que se dedicam a aliviar dores alheias. Seja em visitas em hospitais, asilos, orfanatos, seja no atendimento às pessoas que estão em seu limite, e nesse caso podemos citar os atendentes da CVV (Centro de Valorização da Vida), e das diversas AA (Associações Anônimas), que atendem alcoólatras, drogados, fumantes, neuróticos, internautas, etc...
Então, para as pessoas que se julgam inúteis, porque nada mais tem a fazer, é esse o caminho, ou seja que comecem a visitar hospitais, asilos, procurando pelo menos conversar, levando algum alívio para aqueles que realmente precisam de alguém. Que estão abandonados, entregues à própria sorte, seja pelo desprezo de seus parentes, seja por não os terem vivos. Essa solidão é triste, porque eles não têm como procurar uma companhia. É esse o caminho para quem se julga inútil.
Em vez de ficar perdido em lamentações sobre sua vida vazia, procure preenchê-la ajudando a quem realmente precisa.
Com toda a certeza a satisfação interior que sente alguém que se preocupa com a dor alheia, e a procura minimizar, é o sentimento mais gratificante que se pode sentir. É aquele olhar para trás, e ver que existe alguém que foi por nós ajudado em seu momento de dor.
Portanto, todos somos necessários. Basta desejar fazer nossa parte. Fazer o que estiver a nosso alcance, ou mesmo um pouco além, no sentido de propiciar algum conforto a quem quer que seja, amigo ou desconhecido que esteja necessitando, nem que seja de uma palavra de conforto. Quantas pessoas à beira do suicídio, foram salvas por um anônimo voluntário “ceveviano”? Possivelmente jamais um saberá quem é o outro. Mas as palavras de conforto e carinho ditas por um, aliviaram a dor do outro. E isso, crianças, é a verdadeira solidariedade. É esse o caminho para justificar nossa passagem por esta vida.
É a verdadeira utilidade do ser humano, basta ser humano, basta procurar justificar sua permanencia entre nós.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados