COM QUEM NOS ENCONTRAMOS NA VIDA

 

Por vezes o Amigão coloca em nosso caminho pessoas
que se tornam verdadeiramente inesquecíveis, seja por seu relacionamento
conosco, seja pelo bem que dedicam à humanidade em seu todo...
Osculos e amplexos,
Marcial
COM QUEM NOS ENCONTRAMOS NA VIDA
Marcial Salaverry

Temos encontramos e desencontros em nossa caminhar pela vida, e a propósito, li um pensamento de D. Helder Câmara, que induz a certas reflexões, vejam:
 "Existem pessoas como a cana, mesmo posta na moenda, reduzida a bagaço, só sabem dar doçura."
Realmente, muitas vezes encontramos pessoas que sempre se dedicam ao bem alheio, quase não sendo capazes de um único pensamento egoísta. São criaturas que só sabem espalhar doçura à sua volta, existem alguns exemplos clássicos, como Irmã Dulce, Madre Teresa de Calcutá, Ana Nery, Chico Xavier,  Papa João Paulo II, e muitas outras pessoas que foram capazes de se dedicar a fazer o bem para a humanidade, esquecendo-se de sua vida.
Por maiores que fossem os sacrifícios,  esses seres privilegiados apenas se preocupavam com o bem estar alheio.  Sua vida sempre foi deixada em plano secundário, simplesmente foi “posta na moenda”, dando-nos o mais delicioso suco de vida.
Encontramos muitas pessoas assim em nosso caminho, que são capazes de se dedicar mais a resolver problemas alheios do que os próprios.  Chegamos a pensar que vivem em um Nirvana particular, com defesas à sua volta eliminando quaisquer preocupações.
Claro que não é assim, problemas todos tem.
Apenas descobrimos que existem diversos tipos de personalidade.
Existem pessoas que simplesmente se fecham em uma redoma, e não querem saber do que se passa no mundo, que para eles,  se resume ao seu umbigo. Se desgraças acontecem, se problemas existem, não é de sua conta, desde que não afetem seu mundinho particular.
Pessoas assim, normalmente passam pela vida, não sendo muito notadas. Algumas, por ocupar alguma posição de relevo são notadas, citadas por essa particularidade, e depois esquecidas.
Também encontramos aqueles que, embora não sendo tão radicais, não conseguem pensar em algo diferente do que aquilo que lhes interessa. Ouvem o que outras pessoas dizem, mas não são capazes de mover uma única palha para resolver qualquer problema alheio, salvo se houver algo que lhe interesse nesse caso. Seu egoísmo só lhes permite ver o que lhes pode trazer alguma vantagem.
Existe o meio termo, que é justamente o tipo mais  facilmente encontrável. Interessam-se por problemas alheios, e até se prontificam em ajudar, desde que isso não vá lhe acarretar algum contratempo, algum problema. Não se pode dizer que não tenham boa vontade. Até que tem, mas não são capazes de dispender nenhum esforço extra para ajudar outrem. Fazem aquilo que suas possibilidades lhes permitem. Sem problemas.
Enfim, existem pessoas de todos os tipos. Temos apenas que saber selecionar aqueles que cruzam nosso caminho, sempre procurando pessoas afínicas. O ideal é conseguirmos encontrar pessoas cujos sentimentos não entrem em choque com nossa maneira de ver e viver a vida, e que não tentem atrapalhar a vida de ninguem.
E a todas as criaturas que cruzam nosso caminho, sempre devemos dedicar a devida atenção, pois se elas surgiram em nossa vida, algum motivo existe para isso, e vamos seguir nossa caminhada, até que sejamos nós os lembrados, procurando viver de maneira a deixar aquela saudade boa, aquele desejo de que algo continuasse.
Enquanto isso não acontece, o ideal é ter UM LINDO DIA, desejando-o igualmente a todos, sem exceção.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados