A MAGIA DA VIDA

 


Viver a vida, ou apenas nela sobreviver?
Uma questão de opção de vida, e de livre arbítrio...
Essa a verdadeira magia da vida
Osculos e amplexos,
Marcial

A MAGIA DA VIDA
Marcial Salaverry

Para entender o que é a magia da vida, temos que saber que existe, com toda certeza, uma diferença básica entre realmente viver a vida, ou apenas sobreviver, marcando nossa passagem pelo mundo, sem efetivamente vivermos essa passagem.
Afinal, o que é viver? Quando é que podemos dizer que estamos  realmente vivendo a vida em sua plenitude?  Apenas uma única resposta nos ocorre, ou seja, estamos realmente vivendo, quando efetivamente estamos amando a vida e na vida, pois o amor é o que realmente dá vida à vida, e nos faz sentir o gosto de viver.
E não podemos dizer que amamos sem reconhecer a beleza que é o dom da vida. Sem agradecer a cada nascer e a cada pôr do sol, que por si só, constituem o alimento para nossa alma. O trinado de um pássaro, o marulhar das ondas, o riso alegre de uma criança, um livro aberto em páginas que expressam amor, uma bela música no ar, aquele prato especial, uma poesia que nos toca a alma...
São tantos e tão lindos  exemplos que poderíamos dar para nos fazer entender o quão bela e gratificante é a Vida, vamos entender que viver implica em saber a tudo amar.
Somente no amor é que se faz presente a magia da vida. É no amor que o compartilhar floresce, que os iguais se reconhecem. Que a vida flui em nossas veias, e faz bater nosso coração.
Quando tememos amar, quando o medo permeia nosso interior, não vivemos, de verdade, apenas sobrevivemos.
O medo de amar contamina nosso dia-a-dia impondo-nos limites. E é esse medo que nos mantém distantes uns dos outros. Temos medo de amar porque temos medo da perda. E por conta desse medo, não nos entregamos ao sentimento maior que é o amor, vencidos pelo medo.
Precisamos nos lembrar que a perda existe apenas dentro dos limites estreitos que nos impomos. E por vezes, por medo de amar, deixamos de enxergar quem efetivamente nos ama...
Quando nos damos conta de que viver implica na compreensão e fraternidade entre os iguais, quando nos dispomos a reconhecer que somos unos no Amigão que nos acolhe e protege, afastamos o medo. E somente assim poderá frutificar em terreno fértil a felicidade que buscamos, pois nos entregamos ao amor.
Faça-se esta pergunta: "Eu vivo ou sobrevivo?" Eu vivo, se souber reconhecer e me doar no amor que tenho pelos meus iguais, sem medo, sem qualquer temor, apenas sentindo esse sentimento que enriquece a alma.  Mas apenas sobreviverei, se tiver medo de aceitar esse amor que naturalmente poderia fluir de nossa alma.
E você? Se responder que "vive", certamente estará vivendo UM LINDO DIA

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados