EXPLICANDO PORQUE ESTAMOS AQUI

 


Tem certas coisas que realmente
desanimam qualquer um, quando tentamos
entender certas coisas da vida...
Osculos e amplexos,
Marcial

EXPLICANDO PORQUE ESTAMOS AQUI
Marcial Salaverry
 
Quantas vezes ouvimos e até mesmo nos fazemos essa pergunta: "POR QUE ESTAMOS AQUI?", principalmente quando ocorrem certos fatos que podem causar revolta, e cuja solução está longe de nosso alcance.
Acontecem tantas iniquidades que não conseguimos combater, tantas injustiças que não conseguimos reparar (algumas vezes praticadas por nós mesmos), tantos erros que acabam sendo irreparáveis, que chegamos mesmo a questionar para que serve nossa presença, se nada podemos fazer para acertar essas coisas todas, se não sequer entender certos "porques".
Nesse caso,  há que se considerar que temos enormes limitações que não nos permitem resolver certos problemas que fogem de nossa esfera. Então, temos que deixá-los de lado. Ocorre que essas irregularidades afetam nossa vida diretamente.
Então, algo temos que fazer, mas não conseguimos. Então nos revoltamos contra esse estado de coisas, com essa nossa limitação, e mais ainda aumenta nossa revolta,  quando percebemos que as pessoas que poderiam resolver o problema, que dispõe de autoridade para tanto, se omitem, escondem-se em suas redomas e deixam que as coisas continuem erradas. Lamentável.
Aí nos revoltamos, e por vezes tomamos certas atitudes violentas, que mais ainda irão deteriorar a situação, já que violência gera reações mais violentas ainda.
Recebi uma mensagem, com autoria atribuída a Richard Bach, e creio que seja mesmo dele. Vejam:
"Para que acreditas que estás neste Planeta?... Estás aqui para aprender o que é o amor!"
Com certeza, isto em parte vem responder àquela pergunta crucial “Por que estamos aqui?”
Temos realmente que nos aplicar nessa descoberta, e tratar de aprender o que é o amor.
Claro que Bach quis se referir ao Amor pela humanidade, não ao amor carnal homem/mulher, pois esse é instintivo em nós. Essa atração que forma os casais, as famílias, a conhecemos desde que nascemos, por instinto natural,  e animal.
O amor que precisamos aprender a sentir (pois ele existe dentro de todos nós, só é preciso extrai-lo) é aquele amor que nos faz, ao invés de nos revoltar contra as injustiças, procurar ver o que se pode fazer pelas vítimas dessas injustiças.
Antes de procurar punir as causas, devemos tentar minimizar os efeitos e depois, sim, procurar uma maneira de ir ao cerne da questão, e tentar consertar a coisa toda.
Claro que os autores dos crimes, sejam eles quais forem, devem ser punidos, dentro da justiça e da ordem. Mas esquece-se muito das vítimas. O desejo de vingança, a sede de revanche, muitas vezes não permite uma devida atenção às sequelas desses atos violentos.
Não vamos chegar a extremos  como a bíblica lição de voltar a outra face, pois somos humanos e temos reações humanas,  mas temos que aprender a usar o lado humanitário e pensar que ações e reações violentas apenas conseguem aumentar o caos.
O importante no caso, é procurar desenvolver nosso lado humanitário, procurando dentro de nossas possibilidades ajudar a quem estiver precisando. Seja essa ajuda qual for. Muitas vezes uma palavra bem colocada tem mais valor do que um polpudo cheque.
Quantas vidas já foram assim salvas. Existem inúmeras maneiras de desenvolver esse amor que todos temos dentro de nossa alma. Basta que se descubra, basta que estudemos nossa alma e ver como podemos distribuir nosso amor, ao invés de guardá-lo egoisticamente apenas para nosso uso pessoal. 
Claro que sempre vai representar algum sacrifício para nós. Mas... POR QUE ESTAMOS AQUI?, senão para seguir os ensinamentos de Cristo?
Para melhor pensar sobre isso, desejo a todos UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados