AONDE PODE NOS LEVAR NOSSO PENSAMENTO

 

Nosso pensamento, por vezes nos conduz
por caminhos estranhos...
E ainda não descobrimos como controlá-los...
Osculos e amplexos,
Marcial

AONDE PODE NOS LEVAR NOSSO PENSAMENTO
Marcial Salaverry

Quantas vezes queremos fazer algo, mas nosso pensamento nos conduz por outros caminhos.
O pensamento é algo que pensamos compreender, mas sequer sabemos definir, na verdade,  muito se fala, e pouco se conhece sobre o poder do pensamento. 
É bem difícil avaliar-se as coisas de que o pensamento é capaz de produzir, pois imaginamos que apenas os atos é que comandam tudo.
Acontece que tudo o que se faz, é pensado primeiro, ou pelo menos espera-se que o seja, pois muitas vezes age-se irrefletidamente, sem primeiro  analisar aquilo que se pretende fazer, e é quando fazemos grandes besteiras na vida.
Nesse caso, já se começa a ver o valor do pensamento, pois ao ponderarmos sobre o que pretendemos fazer, poderemos chegar a conclusões que nos podem levar a modificar certas atitudes, evitando erros monumentais.
Quantas vezes tomamos uma decisão de primeira hora, e somente após uma reflexão poderemos chegar à conclusão de que iríamos embarcar numa enorme canoa furada. Tivéssemos seguido o primeiro impulso, e a pobre ruminante fêmea atolar-se-ia irremediavelmente. Por essa razão, sempre que tivermos alguma decisão importante a tomar, sempre será de bom alvitre dar-se um certo tempo para uma análise mais demorada, ou mesmo um conselho de alguém em quem confiarmos, enfim, em alguem que nos possa ajudar a pensar.
Mas o mais importante sobre o pensamento, ou que seria sua essência, é sabermos usá-lo convenientemente em certas questão básicas de nossa vida. Por exemplo, para escrever uma crônica sobre o pensamento, é necessário pensar-se sobre o assunto. E se não pensar direitinho, não quero nem pensar o que poderá sair.
Esse tal de pensamento abre um leque enorme de possibilidades.  Através dele, podemos conhecer bem a alma de uma pessoa, analisando diversos fatores, quais sejam, o que e como ela escreve ou fala.  Mesmo sem chegar a conhecê-la, poderemos traçar seu perfil, poderemos saber coisas dela, de sua personalidade que talvez não fosse possível conhecer através de um contato visual direto, onde se podem usar mil artifícios para encobrir uma verdade.
O mesmo não ocorre quando sabemos usar bem a essência do pensamento, sabendo ler nas entrelinhas de quem nos escreve, sabendo captar a sinceridade na voz de quem nos fala, sabendo "ver" o olhar, e assim, poderemos conhecer o mais importante das pessoas, ou seja, o seu interior.  Conhecendo sua alma, o conhecimento físico pode ser relegado a plano secundário, pois já saberemos o que realmente interessa saber sobre sua personalidade.
É um bom exercício para a mente, mantém os neurônios (todos os dois) bem ativos, pois deveremos saber analisar muito bem, para não cometer erros de avaliação.
Até mesmo em casos de amor, é possível “ver” se a pessoa está sendo sincera.  Basta que se saiba usar o pensamento em sua essência. Um “eu te amo’, tão fácil de se escrever, conforme o resto da frase, ou da idéia, pode ou não soar falso. Mas há que se saber analisar, e sempre depende de um certo treino. Quando se for analisar alguém, não se pode deixar dominar pela emoção.  A análise deve ser fria.  Deve-se procurar “captar” a essência da alma da pessoa, para que não se faça um julgamento errado, a favor, ou contra.
Isso é muito válido nos conhecimentos internéticos.  Sempre é interessante procurar conhecer bem a alma de quem conversa conosco, principalmente quando existe um envolvimento amoroso, que costuma ser meio perigoso, pois muitas vezes um amor muito forte virtualmente, esboroa-se ao conhecimento físico.  Isso ocorre quando não houve sinceridade, ou melhor, quando a “essência do pensamento” não foi devidamente captada.  Quando se deixa levar pelo entusiasmo de momento, ao invés de ponderar bem sobre o que realmente estaria sendo sentido.
Mas quando existe a real afinidade de pensamento, quando os parceiros, através do conhecimento mútuo da alma descobrem que se amam e, principalmente, se souberem usar adequadamente a “essência do pensamento”, então, virtualmente ou não, pode-se dizer que chegaram ao amor, ao qual até mesmo o contato físico pode não fazer falta.
Claro que o contato físico é imprescindível, mas, sabendo adequar-se a certas situações, e, repito, sabendo usar o conhecimento adquirido através do pensamento, pode-se muito bem viver assim, sentindo-se espiritualmente, através do poder da mente.
Como não tenho contato físico com todas as minhas crianças, uso a essência do meu pensamento para desejar-lhes UM LINDO DIA.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados