CIÚME... é doença?

 

Palavrinha tão pequena, mas com um efeito tão devastador. O ciúme quando não controlado causa muito dano. Mesmo controlado, é bastante prejudicial a qualquer relacionamento.

Como evitá-lo? É difícil, pois é inerente ao ser humano. Aliás, os animais também são ciumentos. Vocês já repararam que um cachorro geralmente não admite que cheguem perto do dono?

O que se pode e se deve fazer é mantê-lo (estou falando do ciúme, e não dos cachorros) sob controle. Não há nada mais prejudicial do que uma explosão de ciúme. Tira completamente a razão e o bom senso das pessoas ciumentas..

Na verdade, podemos defini-las de diversas maneiras. Existem aquelas que não suportam sequer a idéia de outra pessoa dirigindo seu carro. Ou aquelas que não emprestam nenhuma peça de roupa, para que não seja conspurcada por algum corpo que não o seu.

Atualmente existe um objeto que é responsável por violentas cenas de ciúme. É o computador. Ninguém entende nosso "filhinho" melhor do que nós, que conhecemos todos seus atalhos, todas suas manias, achaques e chiliques. Se outro alguém se atrever a tocá-lo, será sumariamente deletado. É o vírus chamado "posso usar seu computador, pois o meu pifou, e tenho que passar esta mensagem". Responsável por stress violento...

Agora o pior de tudo, é o ciúme da pessoa amada. Dizem que ciúme é sinal de amor. Penso de maneira diferente. Na minha opinião, reflete falta de confiança, e pior ainda, falta de autoconfiança. Principalmente o ciúme obsessivo em que o ciumento (a) vê "chifres em cabeça de cavalo", ou o que é pior, na própria.

Chega a ser intolerável para quem sofre a "perseguição" de uma pessoa ciumenta. Convenhamos que é realmente muito desagradável para quem sequer pensa em outro "alguém", ver-se de repente acusado (a) de ter amantes. Por vezes essa demonstração de falta de confiança chega a ser estimulante. A "vítima" pode começar a pensar seriamente na coisa, só para dar razão a quem lhe acusa injustamente.

Pelo outro lado, a pessoa ciumenta sofre demais. Vê fantasmas em toda parte. Num simples "Bom Dia", já vê segundas intenções. Seu amor torna-se, em sua cabeça doentia, o objeto de desejo do mundo todo. E não é por aí, gente. Claro que exagerei um pouco, mas temos que aprender a controlar nossos impulsos.

Não há nada mais desagradável do que uma cena de ciúme.

O principal, para que exista a felicidade, é que haja confiança. Temos que ser, sobretudo, autoconfiantes. Temos que ter a certeza de que a pessoa que amamos jamais pensará em outro alguém. E se isso acontecer, é porque não nos ama mais.

Então, o mais adequado e civilizado é cada qual seguir seu rumo, sem que um fique infernizando a vida do outro.

Nesse caso, já deixa de ser amor para ser "sentimento de posse". E não é por aí que se mantém um relacionamento.

Quando se perde a confiança, perde-se tudo. Então para que ciúme?

Volto a bater na mesma tecla. No momento em que surgir alguma dúvida, é hora do diálogo. Vamos conversar civilizadamente para acertar os ponteiros.

Já vi muitos casos em que a parte acusada era completamente inocente e, não suportando a falta de confiança da outra parte, simplesmente preferiu terminar com tudo, pois não havia mais condições de continuar naquele inferno em que a vida do casal se havia transformado, devido ao excessos de ciúme.

E mais um caso de amor que termina sem motivo real...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados