O CASAMENTO, COMPARADO AO TÊNIS E A FRESCOBOL

 


O casamento não deve ser considerado como esporte,
pois o ideal é que o jogo termine empatado...
Sem vencedor e nem vencido...
Osculos e amplexos,
Marcial

O CASAMENTO, COMPARADO AO TÊNIS E AO FRESCOBOL
Marcial Salaverry
 
Para tal comparação, é preciso tentar entender que analogia poderá haver entre os esportes acima, e convenhamos que se o casamento pode ser considerado um esporte, é preciso concordar que,  como qualquer esporte, seu resultado vai depender do desempenho dos parceiros, e assim, devemos considerar que será o único esporte que o resultado ideal será o empate, e que o vencedor não será nenhum dos parceiros, mas o casamento em si.
Para sair vencedor, dependerá de um bom desempenho em campo.  Como não é um esporte individual, fica na dependência de um bom entrosamento da equipe. Enfim, como todo e qualquer esporte, tem que ser encarado com seriedade, com solidariedade, e com muito respeito, não somente entre as parceiros, como também pelos oponentes.  Depende igualmente de um bom treino e de sempre manter-se em boa forma.
Mas, na realidade, o que poderá ter o casamento, a ver com o tênis (o jogo, não o calçado), ou com o frescobol? Tem muito a ver.  A começar pelo fato de que todos os três esportes são praticados por duas pessoas. A diferença pode começar pelo fato do tênis geralmente ser jogado entre pessoas do mesmo sexo.  Bem,o frescobol e o casamento já são mais liberais, podendo seus praticantes pertencer ou não ao mesmo sexo.
Pela forma com que  os esportes são praticados, podemos logo constatar que  os casamentos "tipo tênis", dificilmente dão certo, e os "tipo frescobol", tem tudo para perpetuar-se.  E a explicação é simples, principalmente para quem conhece os dois jogos, e  certamente sabe que numa partida de tênis, temos que conhecer e explorar os defeitos do adversário (aqui, é adversário...), para superá-lo e, mostrando sua superioridade, derrotá-lo.
Portanto, num casamento onde existe uma competição entre os dois, para ver quem é o mais belo, o mais forte, o mais inteligente, o mais bonito, ou o mais gostoso, as coisas nunca terminam bem, pois o derrotado sempre vai sentir a frustração que todo perdedor sente. 
Nunca vai olhar o companheiro (a) como um parceiro (a), e sim como rival.  Sempre vai estar tentando devolver a derrota em uma coisa, superando-o em outra.  Essa atitude de competição, certamente não vai estimular a união da dupla, mas sim a competição entre ambos, criando uma eterna rivalidade.  Sempre um  vai procurar apontar os defeitos, e nunca as virtudes do "adversário".  Mais ou menos assim: "Bem, ele (a) é bom como mecânico, mas na cozinha é uma negação. Só atrapalha". Ressaltando o defeito.
Há que se notar ainda, que no tênis, existe uma rede separando os jogadores. É mesmo um para cada lado, e o frescobol é jogado sem essa rede de separação.
Agora, no frescobol, o interesse é  manter o jogo.  Quanto mais tempo a bola ficar no ar, mais tempo os dois estão jogando, então, um procura devolver a bola no jeito, para que o outro a rebata. Então, sabendo que o parceiro (a) é fraco nas bolas baixas, procuramos sempre levantar a bola, para que ele (a) a devolva bem, e o jogo, quando mais a bola estiver no ar, mais tempo dura.  E os dois juntos, procuram derrotar os outros competidores.  Entre ambos, tem que haver harmonia, diálogo de sinais. Da maneira como você movimenta o braço, o parceiro (a) já vai saber onde a bola vai vir. Então, os dois não estão competindo entre si.  Estão procurando desenvolver o jogo, dialogando o mais possível, mantendo-se de acordo, trabalhando em conjunto.
Transportando para a vida, no frescobol o diálogo é constante, um procurando equilibrar a bola do outro, estimulando a harmonia.  Ninguém quer derrotar ninguém.  Muito pelo contrário.
O tênis é jogado entre adversários. Um vence o outro. E o frescobol é jogado entre parceiros. Ambos vencem o jogo.
 Vamos prolongar nossa vida ao máximo.  Vamos procurar estar sempre juntos.  Enquanto que no tênis, não existe nenhum diálogo. A idéia é abreviar a partida ao máximo. Quero vencer. O outro, que se dane. 
Basicamente é isso . 
Como no frescobol, vamos manter a bola no ar e para tanto tenham UM LINDO DIA.
 
"Obvs. Existe um texto circulando na Internet, de autor desconhecido,  falando sobre tenis e frescobol, e que serviu de inspiração para esta crônica."

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados