LEMBRANDO COMO ERA NO PASSADO

 


O presente e o futuro não impedem que se olhe para o passado...
E que se busque a origem de certas coisas...
Osculos e amplexos,
Marcial

LEMBRANDO COMO ERA NO PASSADO
Marcial Salaverry

À medida que o tempo vai passando, e que a idade vai aumentando, sempre teremos saudade daquilo que vivemos, e o inconsciente desejo de que o tempo retroceda, e isso sempre se sente quando se bate um papo com gente mais jovem. Num desses bate papo com uma jovem de, digamos, entre 20 e 30 anos, que logo começou a criticar o saudosismo de seus pais, que "teimavam em dizer que antigamente vivia-se melhor".  Ela frisava que atualmente, sim, vivemos em melhores condições, com uma porção de coisas eletrônicas que facilitam tanto a nossa vida, e  citava computador, Internet,  celular, e tudo o mais que se possa imaginar como coisas modernas.
Sem deixar de, em parte, dar-lhe razão pelas grandes melhorias que a Era Moderna nos trouxe, comecei a lembrar, e fazê-la entender o ponto de vista de seus pais, e que não lhe fôra devidamente esclarecido.
Comecei por tentar fazê-la entender o ponto de vista paterno, ou seja em que ponto eles consideravam melhor a época deles (por acaso, a minha também...).  Vamos, como faria Jack o Estripador, por partes...
Vamos falar do respeito que havia antigamente.  Os mais velhos eram respeitados e ouvidos. Nem sempre seguidos, mas ouvidos eram. Havia um diálogo familiar.   Concordo que muitas vezes um diálogo totalmente direcionado pelo "Chefe da Casa", mas pelo menos, conversava-se.  Havia um certo sentido de família.  Havia uma união familiar que, quer queiram ou não, sempre ajudava a manter os jovens em casa, e não havia tantos desvios de conduta, como vemos atualmente. 
Enfim, os pais eram respeitados pelos filhos, e não assassinados, ou menosprezados, e chamados de "velhos ultrapassados"...
Naqueles tempos, o que se entendia por drogas fortes de consumo fácil, era Cafiaspirina e Melhoral, e hoje, vemos  jovens de boa posição, viciados em drogas, e o que melhor explica esse fator, é a falta do diálogo d'antanho... Difícil de entender...
Para os jovens daquela época, fumar cigarros ou beber Cuba-Libre, já era uma aventura... Bem, entende-se que eu falei cigarros feitos de tabaco mesmo. Cuba-Libre? Ora... Rum com Coca Cola, e aliás, essa era a Coca que era muito consumida, e não como hoje, que trocaram a Cola pela Ina... 
Enfim, havia muito menos acesso às drogas e à liberalização de outros vícios, até mesmo o consumo de bebidas era muito mais controlado para menores de idade, e somente em festinhas de juventude, mas sempre bem controlados por alguem.
Quanto a sexo, nem falar, quanto mais fazer.  Aliás essa restrição sempre achei odiosa...  Mas, convenhamos,  a liberalização atual, está um pouco liberal demais... Trocaram a liberdade tão desejada, pela liberalidade sexual, tanto é que meninas de 10 e 11 anos, já dão aulas de sexo para os mais velhos... Convenhamos, nem tanto ao mar, nem tanto à terra.
Em priscas eras, ninguém sequer falava sobre "essas coisas", o que sempre provocou traumas nas meninas, quando se viam frente a frente com os "adversários". Fugiam de qualquer assédio quando solteiras, e, na tão aguardada "Noite de Núpcias", não sabiam o que fazer, e muitos acidentes aconteceram, mas apesar disso, era muito romântico esperar por essa noite, aguardada com muita ansiedade.
Havia romantismo na expectativa, mas em contra-partida, hoje em dia, geralmente a noite de núpcias, é exatamente a noite em que os parceiros se conhecem... Enfim... coisas de época.
Naquele tempo, as mulheres eram preparadas para ser "Dona de Casa". Tão só pura e simplesmente, donas de casa. Deviam respeito total e absoluto a seus pais, irmãos mais velhos, e depois aos maridos.  Esse foi um dos pontos que mais suscitou divergências. E quanta polêmica foi criada.  Muito justamente, aliás.  As mulheres sempre procuraram defender igualdade de direitos.  E claro, de deveres também. E já conseguiram muita coisa.  Nem tudo ainda, pois ainda existe um certo preconceito, ainda existe um certo grupo que  considera os homens superiores às mulheres.  Não sei em que, mas o fato é que há quem assim pense...
Como vemos, é tudo uma questão de pontos de vista.  Existem aspectos em que o progresso trouxe muitas melhorias, mas também criou uma série de problemas  antes inexistentes...
O computador, por exemplo, chegou para resolver uma série enorme de problemas que antes não existiam, e também trouxe uma série de problemas, em relação à educação das crianças, pois atualmente elas deixaram de usar o raciocínio, esperando que a maquininha resolva tudo... Pra que pensar? É só baixar um programa, e tudo se resolve, e sai lindamente impresso, e isso convenhamos, causa uma grande "preguiça mental", dando como resultado a quantidade enorme de "pérolas" colhidas na leitura de provas vestibulares (ou seriam vestiburrares?)...
Contudo, no aspecto "Relações Humanas", sem dúvida que antigamente se vivia melhor.  Havia mais respeito, mais amor à vida, às pessoas, e à Natureza (que não era tão vilipendiada). Nesse aspecto, a única ressalva que faço, diz respeito ao tratamento dispensado às mulheres.
O certo é que daqui a 40 anos, os jovens de hoje, estarão dizendo aos jovens de então, que sua época foi muito melhor que a que será a atual, pois algo que sempre existirá será esse conflito geracional...
Sempre haverá o saudosismo, sempre o passado será lembrado, sempre a juventude vivida será melhor do que o que  estão fazendo esses destrambelhados de hoje, e isso é algo que  nossos pais ouviram de nossos avós, que ouviram dos, e vai por aí afora.
O que eles nos disseram, o que nós dissemos a nossos filhos, o que eles dirão a nossos netos, sempre será a mesma coisa.  Há que se entender isso, há que se respeitar esses pontos de vista, há que se saber  pesar-se os prós e os contras de cada maneira de pensar, enquadrando cada coisa em sua época, e procurar aproveitar o que de melhor puder colher e escolher desses diálogos todos.
Não se ater a preconceitos, e saber analisar.  Pensar, meditar, eis o segredo para se aproveitar o que de bom o passado nos transmite, juntá-lo ao que de melhor existe no presente, para fazer alguma coisa de boa para o futuro... Assim, tenhamos UM LINDO DIA, sem nos perdermos demasiadamente em nossas lembranças, e tampouco as olvidando totalmente, sabendo sempre manter o ponto de equilibrio, para não sermos nem retrógados, e nem alienados.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados