QUANDO NOS APAIXONAMOS

 

   
QUANDO NOS APAIXONAMOS
Marcial Salaverry 
 
Nem sempre conseguimos detectar quando nos apaixonamos, porque essa revelação não nos será mostrada explicitamente. São apenas alguns sinais que podem nos indicar que alguma alteração está ocorrendo com nosso interior, e que indicam que estamos nos sentindo perigosamente atraídos por um certo alguém, e que essa coisa apenas pressentida, pode ser o tão cantado e decantado amor.
Contudo, ainda nos resta saber como identificar tais sinais de alerta, que  podem ser sentidos numa troca de olhares, ou mesmo ao ouvir uma determinada voz, ou eventualmente ao ler algo escrito, e parece que o coração sofre uma espécie de baque. Na realidade é o cérebro agindo, e querendo nos mostrar esse detalhe. Podemos estar nos apaixonando, mesmo sem saber.
Principalmente se começarmos a notar que nossa presença começa a produzir o mesmo efeito naquela mesma pessoa que nos causou tal impacto, como se fosse esse, aquele encontro tramado pelo destino no dia de nosso nascimento, que se costuma dizer ser o encontro da famosa "alma gêmea".
É quando o contato físico produz como que um choque, passando uma corrente elétrica, ligando-nos como plug e tomada. Ou então quando nossos pensamentos começarem a se direcionar para esse alguém, sendo mais significativo se o primeiro e o último tiverem esse direcionamento. Nesse caso, parece evidente que podemos estar nos apaixonando. Irremediavelmente. E isso é muito bom.
E poderemos dar razão ao nosso querido poeta Carlos Drumonnd de Andrade, quando disse que 
Se o primeiro e o último pensamento do seu dia for essa pessoa, se a vontade de ficar juntos chegar a apertar o coração, agradeça: Algo do céu te mandou um presente divino : O AMOR.
Sábias por demais essas palavras. Realmente o Amor pode ser considerado um presente divino, e devemos saber detectá-lo e recebe-lo, e dele bem cuidar para jamais o perder. 
 Infelizmente nem todos sabem detecta-lo. Nem todos sabem vive-lo. Precisamos entender que cada amor tem uma característica diferente do outro, como cada pessoa tem sua personalidade.
E o amor verdadeiro, autêntico, nada mais é do que uma simbiose de almas, pois é preciso haver um afinamento entre ambas. É não ter medo nem vergonha de pedir perdão quando errar, pois ninguém é perfeito. Igualmente é preciso saber perdoar. É preciso entender e aceitar as imperfeições de quem estamos amando, para que igualmente sejamos entendidos e aceitos. Tamb´´em temos nossas imperfeições, nossos defeitos que precisam ser entendidos e aceitos. O amor só é bem vivido, quando em clima de sincera reciprocidade.
Saber entender a alegria e a tristeza, e saber compartilhar. Saber dividir. É importante a reciprocidade de sentimentos e atitudes. 
Amar é se comunicar pelo pensamento. É sentir a presença ausente. É aquele olhar para o lado, e “ver” a pessoa amada, mesmo que ela esteja na lua. É sempre acha-la a criatura mais linda do mundo, mesmo que esteja toda desgrenhada após uma faxina, ou que sua dentadura esteja no copo, e mesmo assim seu sorriso seja radioso. Podemos estar nos apaixonando, ou melhor, estamos amando total e irremediavelmente, pois não conseguimos sequer imaginar nosso futuro sem esse alguém ao nosso lado, mesmo que esteja a quilômetros de distancia, mas conseguimos senti-lo ao nosso lado...
Precisamos, simplesmente conseguir “ver” e sentir essas coisas acontecendo, e deixar que aconteçam, para que esse amor que estamos encontrando permaneça conosco. Quando o amor surge, não devemos deixa-lo fugir de dentro de nós. É a melhor coisa que pode acontecer em nossa vida, pois sempre iluminará nossa existência. Mesmo que não seja possível vive-lo em total plenitude, seja por quais circunstâncias forem.
Mas pelo menos deixa-lo fluir. Permitir que exista em nosso coração, pois ele se sentirá mais vivo  o agasalhando. É não permitir que circunstâncias fortuitas ou sentimentos mesquinhos possam matar ou minimiza-lo, mesmo que outras pessoas tentem influenciar, através de diz-que-diz e fofocas. Ignore maledicencias, sempre na campanha de preservação de seu amor. 
E para bem viver um amor, sempre será bom começar com UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados