APROVEITANDO EXPERIENCIAS VIVIDAS

 


Até que ponto pode ser válido nos apoiarmos na experiência dos mais velhos?
Osculos e amplexos,
Marcial
APROVEITANDO EXPERIENCIAS VIVIDAS
Marcial Salaverry

Como sempre pode ser interessante aproveitar experiencias vividas para evitar erros futuros, desejo passar aos jovens um bom exemplo do que é experiência de vida.
A melhor experiência que existe, é você saber aproveitar e analisar os erros que os mais velhos cometem ou cometeram, para não repeti-los, assim como dar uma modernizada no que de bom eles fizaram, para um possível aproveitamento, e pensar assim, sempre pode aplainar  o caminho.
Costumam os jovens dizer que "a sua experiência não serve para mim". Grande engano. Se as experiências vividas tiveram bons resultados, por que não aproveitar a fórmula usada, claro que adequando a fórmula antiga aos tempos modernos? Se, pelo contrário, as experiências foram más, já se pode saber, ao menos, o que NÃO se deve fazer. Portanto, sempre é bom olhar para o passado, e fazer uma triagem de erros e acertos já cometidos.
Por exemplo, na minha infância, pude observar os efeitos altamente nocivos que o cigarro produzia para a saúde de meu pai. Ele tinha homéricos acessos de tosse, além de problemas cardíacos, e uma série de outros efeitos nocivos que todo fumante conhece de sobejo.
Vendo isso na minha frente, a atitude mais lógica foi aquela que tomei. Decidi NUNCA fumar. Ainda mais que meu pai, em suas longas conversas comigo, sempre costumava dizer que, se alguém o houvesse alertado na juventude sobre os efeitos do cigarro no organismo, jamais teria fumado. Claro, se o cigarro era o responsável direto por todos os problemas de saúde que meu pai enfrentava, por que não aproveitar sua experiência infeliz, e tomar a decisão mais inteligente de minha vida ?
Eis aí um bom exemplo de que as experiências dos mais velhos sempre podem ser extremamente úteis, desde que devidamente analisadas.
Basta que saibamos analisar corretamente as situações. Muitas pessoas justificam certos erros, atribuindo-os às más companhias, quando, na realidade o que poderá ser a melhor ou a pior companhia que poderemos ter, é aquela pessoa que toda manhã fica nos encarando fixamente quando nos olhamos no espelho.
Devemos nos espelhar nos mais velhos, mas sempre sabendo discernir o que deveremos ou não copiar. Se o exemplo não é bom,  por que segui-lo? Há que se usar, e com ponderação o livre arbítrio.
Fica aqui um alerta para todos, jovens e não tão jovens. Uns, que procurem dar bons exemplos, e que procurem o caminho do diálogo, e outros, que saibam aproveitar, tanto os bons quanto os maus exemplos, para melhor direcionar seu caminho.
UM LINDO DIA para todos.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados