FELICIDADE É UMA COISA BOA

 

Inicialmente, cabe uma pergunta: O que vem a ser essa tal felicidade?.

Verdadeiramente, o real significado dessa palavrinha é por demais ambíguo.

Tem gente que é feliz com um amor e uma cabana...

Outros, porém, querem que além do amor e da cabana, também venha um iate, um apartamento de cobertura, uma sólida conta bancária (cheia de zeros à direita) e, claro, bastante saúde para poder desfrutar de tudo isso (tem gente que se contenta com pouco).

Será que a felicidade, então, é representada pelos bens materiais que se possui?

Até existe um velho ditado que diz: O dinheiro não traz felicidade. Sempre costumamos acrescentar: manda buscar... Então é isso aí gente. Felicidade é ter dinheiro. Bem, não é só o dinheiro, convenhamos. Alguns complementos são necessários. E quais seriam?

Alguns apressadinhos logo dirão : SAÚDE, PÔ. Não adianta o dinheiro se não tivermos saúde. Outros poderão achar que o amor faz falta. Bem... o dinheiro facilita o encontro do amor. Só que fica dúvida: Será que esse amor é sincero? Ou será só interesse? Então o dinheiro não favorece o encontro do amor verdadeiro.

Bem, como cada um tem suas idéias próprias, vou expor as minhas:

Na minha concepção, para que alguém possa sentir de perto o que vem a ser felicidade, o primeiro requisito é conseguir gostar de si próprio... é olhar no espelho e poder dizer: você merece ter um bom dia. Merece, porque não deseja mal a ninguém. Merece, porque procura ajudar aos outros. Merece, porque não tem maus pensamentos a respeito de quem quer que seja. Merece, enfim, porque você tem a suprema capacidade de saber amar-se, e concomitantemente, amar o próximo.

Esse é um dos requisitos básicos, ou seja você não pode sentir o que é felicidade, se as pessoas à sua volta, seus parentes, amigos não estão bem, estão infelizes. Não quero dizer que devemos sofrer com os sofrimentos alheios, mas sim que devemos procurar entender, e fazer o que estiver a nosso alcance para diminuir tais problemas.

Daí, pode se deduzir que a felicidade plena é muito difícil de ser alcançada, pois sempre existirá alguém sofrendo, sempre teremos problemas para resolver. Para se chegar ao nirvana, teremos que ser criaturas especiais, que consigam ser imunes à dor, ao sofrimento, às mazelas do mundo. E isso...

Então fica aqui minha maneira de pensar. Na verdade, felicidade é o momento presente.

É sabermos viver o agora, tirarmos proveito do que de bom pudermos desfrutar neste momento. Se a conta bancária está boa, vamos aproveitar e viver o momento. Se estiver baixa, temos que ver o que dá para fazer no sentido de engordá-la, e procurar viver com o que for possível, sem nos amargurarmos pelo fato de estarmos "em baixa". São coisas da vida. Se estamos com saúde boa, maravilha vamos curti-la. Caso contrário, vamos procurar tratamento para poder curtir.

Enfim, o conceito de felicidade basicamente é o seguinte: procurarmos aceitar o que a vida está nos oferecendo no momento e desfrutá-lo. O que não adianta, é nos amargurarmos com vicissitudes, lamentarmos eventuais azares. O que pudermos fazer para consertar a situação, faremos. Se nada puder ser feito, deveremos procurar aceitar a situação. Sem, porém, fazermos dos contratempos motivo para infelicidade.

E, principalmente, não podemos nos esquecer de que, em verdade, a felicidade plena muito dificilmente poderá ser encontrada, o que sempre poderemos ter, são momentos felizes, os quais deveremos tentar prolongar ao máximo, pois, se os perdermos, ao menos teremos muitas e boas recordações.

É preciso vivermos, enquanto estivermos vivos.

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados