INSEGURANÇA MASCULINA - Parte 2

 

Para complementar o artigo, vamos tentar entender o que está se passando com a cabeça dos homens que, pela vivência que já tiveram, deveriam ter as idéias mais bem focadas.

Contudo, segundo opinião das diretamente interessadas, não é o que vem acontecendo.

Nossos amigos cinqüentões e sessentões, que, face sua experiência de vida deveriam já conhecer a maneira de pensar das mulheres, estão, com raras exceções, "pisando na bola" feio.

Vamos procurar analisar a questão, buscando suas origens, pois os problemas vem de longe. Conheço bem, pois é minha faixa etária.

Desde a infância os homens (então meninos), sempre foram educados no sentido de que "homem não chora", "homem comanda, mulher obedece", "homem sustenta, mulher alimenta", "homem trabalha fora, mulher não sai de casa", e por aí afora, inclusive aquela idéia rançosa de que as mulheres tinham "obrigação de servir seus maridos" quando eles desejassem. Elas não tinham direito a voz ativa nenhuma...

Acontece que os tempos mudaram... As mulheres se cansaram daquela submissão total. Começaram a ter voz ativa, a manifestar suas opiniões. Até radicalizaram, e hoje já existe quase que um pé de igualdade. Faltam pequenos detalhes, mas pelo andar da carruagem, logo serão superados.

Acontece que os homens, em sua maioria ficaram assustados com isso. Estavam acostumados com aquelas "Amélias" que a tudo se submetiam, sem nada reclamar.

O que poderiam fazer face a nova situação?

Os direitos conquistados não tinham efeito retroativo, as mulheres começaram a fazer questão de manter suas conquistas.

Como resultado, muitos casamentos foram dissolvidos em sua maior parte pela intolerância masculina em aceitar o novo "status quo" reivindicado por suas companheiras. Usando da arma de que dispunham, procuraram "encostar" suas mulheres na parede. Então, cada qual para seu lado.

Só que essas mulheres foram à luta, continuaram evoluindo, e ei-las agora, senhoras maduras, ocupando cargos antes masculinos, e mostrando que as mulheres também são competentes, também sabem ir à luta e viver.

Claro, querem novas parcerias... parceiros que as entendam, que aceitem sua condição de pessoa independente, que sabe viver e quer viver.

Pelo que tenho observado, se as mulheres cresceram, os homens não acompanharam o crescimento. Continuam com aquela idéia rançosa de que as mulheres só servem para cuidar do homem, lavar, passar, cozinhar, e servi-los sexualmente quando estão dispostos.

Não entendem que as mulheres de hoje, em sua maioria, querem companhia, sim. Mas querem um companheiro, que ande a seu lado, que a aceite, que a apóie. Não estão atrás do macho dominador do qual se livraram a muito custo e luta. Não estão atrás de alguém que olhe suas conquistas com ar de pouco caso, e diga "vem pra cama comigo, que eu te mostro o que é bom". Elas querem sexo, sim... mas isto está deixando de ser prioritário. Elas querem alguém do seu lado, e não "por cima". Elas querem ter com quem dividir suas conquistas, e não ter alguém que queira combater o espaço conquistado. Elas querem ter alguém consigo, e não contra si.

E parece que está tão difícil de entender isso...

Os homens maduros, que viveram essa situação, deveriam ter compreendido o novo estado de coisas. Contudo, ao encontrarem mulheres que vivem sozinhas, pensam que só por estarem sós, estão "à caça", e em permanente cio. E única coisa que passa em suas cabeças é levá-las para a cama.

Primeiro o sexo, e depois poderemos nos conhecer melhor.

Não é por aí gente. As etapas de conhecimento devem ser respeitadas. Tem que se passar da apresentação inicial, por uma fase de conhecimento, ver se existe alguma afinidade. As mulheres gostam de ser conquistadas, seduzidas, para então sim chegar à etapa final, a tão desejada cama.

Esse açodamento que atualmente se verifica entre os homens maduros, indica muita insegurança, indica total falta de auto confiança. Pensam que as mulheres estão unicamente atrás de sexo, desesperadamente atrás de sexo. Podem até estar, mas colocam sua vida pessoal acima de tudo. Não querem, abrir mão do que já conquistaram, e querem homens que as aceitem, e que respeitem suas conquistas.

Por não enxergarem a coisa sob esse enfoque, muitos homens estão deixando passar a oportunidade de terem grandes mulheres a seu lado.

Enfim, tudo é maneira de encarar a vida.

Espero que este meu alerta seja encarado de uma maneira positiva, e que meus colegas sessentões comecem a enxergar sob outro prisma as mulheres que, se estão sós, talvez tenha sido por incompetência de seus "ex", que apenas não souberam enxergar quem estava a seu lado.

Como por exemplo um comentário que ouvi numa "noite de autógrafos" de uma escritora amiga: "Puxa, fui casado tanto tempo com ela... e não sabia que ela sabia escrever..." Deduzi que ele não fora casado com ela, mas sim, casado contra ela...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados