VAMOS PROCURAR O AMOR

 


VAMOS PROCURAR O AMOR
Marcial Salaverry

Por vezes vemo-nos na contingência de precisar procurar o Amor, pois verdadeiramente este artigo anda em falta no mercado. Pergunta-se o que estará havendo. Fica difícil descobrir as causas para tal sumiço, já que  o amor deveria ser a mola mestra que move o mundo. Para tudo, dependemos do amor. Então, qual seria a causa para seu desaparecimento?
Existem diversas versões que tentam explicar o fato. Vamos procurar identificar algumas, e quem sabe assim poderemos eliminá-las, terminando assim com tão terrível ameaça. Pode-se imaginar o mundo sem Amor?
Uma dessas versões, garante que a humanidade o está deixando de lado, por considerá-lo "demodé", e preferindo empregar a outra versão do amor, ou seja, o sexo. Sem dúvida, uma alternativa muito interessante. Agradavelmente interessante, convenhamos, pois o sexo é extremamente agradável, além de prestar sua colaboração para o incremento populacional.
Ainda mais, se considerarmos bem, para praticar esta versão, não é preciso que exista a anterior, pois muitas vezes, é suficiente uma certa atração física, ou uma paixão, que não tem nada a ver com o Amor, mas sim, com o amor.
A propósito, vejam esta linda mensagem do meu querido guru L’Inconnu:
"É melhor ter sucesso com Amor, do que só sexo sem Amor..."
De fato... fica muito melhor ter sucesso (e também sexo..) com Amor, do que praticar o sexo sem que exista Amor entre os parceiros. Embora, existindo apenas amor, o sexo possa ser agradável. Mas com Amor, é bem melhor.
Como? Qual a diferença entre Amor e amor? Ora... é simples. Basta considerarmos que o amor é um sentimento de afeição que permite a convivência de pessoas, independendo do real sentido dessa união. Basta que nos sintamos bem ao lado de uma ou mais pessoas. Pode ser sentido coletivamente. Podemos sentir amor por uma ou por diversas pessoas, cuja companhia seja agradável, para que possamos dizer que temos amor por esse alguém, ou "alguéns"...
Essa relação pode ser entre irmãos, entre pais e filhos, entre amigos... É aquela sensação de "se sentir bem" quando estamos com determinadas pessoas. Uma amizade sincera, é uma das formas de se sentir esse amor. Podemos sentir amor por um animal de estimação...
Contudo, o Amor é diferente. É aquele sentimento que determina a união de duas pessoas. É exclusivista. Não pode ser dividido. O Amor só quer a presença da pessoa amada. Pode tolerar a presença de amigos, mas, respeitadas as devidas proporções. Por causa do Amor, terminam-se muitos amores. Por essa razão, o Amor encontra um inimigo muito sério, chamado Ciúme, que por vezes pode ser responsável por acabar o Amor.
A propósito do Amor, já disseram que "Deus sabe o que faz, dando-nos alento para amar..."
Como os bons perfumes, é uma pequena frase com uma grande verdade.
É essa a verdadeira definição do Amor: Uma dádiva de Deus. E quem recebe esta dádiva, não deve desperdiçá-la, mas sim distribui-la. Deve viver o Amor recebido em sua plenitude, entregando-se a esse sentimento sem reservas, sem deixar que outros sentimentos menores possam atrapalhar o desenrolar desse Amor, que deve ser vivido integral e apaixonadamente, pois o verdadeiro e autêntico Amor só nos chega uma vez na vida, e essa oportunidade não deve ser desperdiçada.
Existe uma outra versão, que diz que a falta no mercado se deve ao fato de que algumas pessoas tem em excesso, não sobrando para os outros... Claro que neste caso, é do amor que falamos. E este pode e deve ser distribuído. Assim, aqueles que o tem sobrando, podem e devem dividir com o restante carente. Não acham ?
Que tal dividirmos o que temos a mais ? Como fui um dos contemplados com essa overdose, procuro fazer a minha parte, comunicando-me com minhas queridas crianças, procurando fazer uma divisão justa.
Começo, desejando-lhes UM LINDO DIA !

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados