O TEMPO NOS FAZ IDOSOS, VELHO É TRAPO

 


O RG pode provar que somos idosos...
Mas nossa alma pode provar que não somos velhos...
Osculos e amplexos,
Marcial

O TEMPO NOS FAZ IDOSOS, VELHO É TRAPO
Marcial Salaverry

É preciso deixar bem claro, que existe uma fundamental diferença entre ser idoso ou ser velho. Somos idosos pela ação do tempo, e por estarmos vivos, seremos velhos se nos entregarmos à idade.
A respeito do assunto velhice ou idosidade, muito há que se falar. Devemos saber aceitar a idade física sem, contudo, permitir que ela interfira com a idade espiritual, conseguindo assim sempre nos manter em “alfa”.
Podemos nos perguntar se somos velhos, quando não temos mais a mesma agilidade da mocidade. Mas se soubermos entender que essa limitação é provocada pela idade, poderemos manter nosso espirito jovem, sabendo administrar eventuais limitações. Assim, seremos apenas idosos, mas não seremos velhos.
Emocional e sentimentalmente devemos saber nos sentir jovens, apesar de não o sermos fisicamente...  E daí? Há como mudar isso? Na verdade queremos mudar? Talvez nada vamos querer mudar, se tivermos  a sabedoria de aceitar mais as coisas que nos vem acontecendo. E aceitando em nós, aceitaremos nos outros, e esse, talvez, seja o segredo, aceitar tanto nossa grandeza como também  a pequenez, e assim poderemos nos tornar cada vez melhores, e saberemos aceitar as limitações daqueles que nos rodeiam.
O desejo é termos a pele da juventude, o brilho nos cabelos da juventude, o corpo e a disposição da juventude, mas desejamos tudo isso, com a experiencia que a idosidade nos deu. E convenhamos, aí começa a se complicar tudo...
As coisas já mudaram bastante, pois antigamente a chegada aos 60 anos já era algo raro, e os idosos da época, eram em sua maioria, velhos de verdade, cujo caminho já estava definido... Um asilo...
Felizmente atualmente isso mudou muito.  Fomos uma geração questionadora e rebelde, e pelo jeito não mudamos muito, por que o universo colocou em nossas mãos a web... Era só o que queríamos, para mudar os conceitos arraigados numa sociedade conservadora. Somos antiguidades (coisa preciosa)  Os amigos de nossos filhos nos acham incríveis, tendo a mente aberta, cabeça de jovens... Agora vamos dançar, fazemos encontros, existe uma turma de mulheres, brigando pelos "namorados" nos chats, na Net, como garotinhas adolescentes, assim como existem verdadeiros galãs na web. Os lobos (ou bobos) grisalhos, que na verdade são pessoas comuns, guindadas a esta posição por ser esta uma fase onde as paixões mais incríveis acontecem, tanto na web como na vida real. Tudo isso e mais outras coisas, confirmam que somos pioneiros da nova velhice... Ou como gostam os psicólogos e afins, somos a  "old news" ou será "news old"? Não importa.
Se assim somos, não nos recusamos a aprender essa nova vida a cada dia, e pagar o preço do aprendizado.
E aí vem a pergunta fatídica... Será que somos velhos? Ou reinventamos a idade da velhice? O que de fato é ser velho?
Com certeza,  seria excelente se tivéssemos, se fosse possível, a magia de voltar a ostentar o físico dos 20, mantendo a experiência dos 60... Seríamos algo de muito especial. Mas é esse o tributo que a vida nos cobra. Dá-nos a experiência, mas nos cobra no físico.  Já imaginou quanta besteira que fizemos deixaríamos de fazer? Mas também precisamos considerar que se temos essa experiência de hoje, ela foi embasada nos erros cometidos. Vai daí que, cada época é sua época, e devemos viver adequadamente cada uma delas, sabendo tirar proveito da passagem do tempo, para sedimentar cada vez mais nossa experiência.
Sábios somos todos aqueles que soubemos chegar a essa conclusão, e pelo amor que temos à vida, e tendo ainda disposição para praticar algum esporte, ou então atividades que nos mantenham vivos e ativos. Física ou intelectualmente. Conseguindo juntar ambas, melhor ainda, pois um bom condicionamento físico sempre favorecerá atividades intelectuais, dando-nos melhores condições de vida.  Quanto ao aspecto físico, precisamos apenas responder a uma pergunta:
VOCÊ GOSTA DO QUE VÊ AO ESPELHO?
Se gostar, então chega, pois não precisa melhorar nada... A primeira pessoa a quem precisamos agradar é quem está nos olhando pelo espelho...
Claro que temos que saber conhecer nossos limites, saber até onde podemos chegar, e até lá ir, e principalmente,  saber onde parar... E é esse o grande segredo, ter perfeito conhecimento do nosso organismo, para ter consciência plena de nossos limites. E não tentar ultrapassa-los, pois os resultados poderão ser péssimos. Claro que o ponto fundamental é tomar os devidos cuidados com a saúde.  Quem não souber disso, é bom ir correndo aprender... Se conseguir correr ainda...
E para começar bem tudo isso, tenhamos UM LINDO DIA.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados