ÀS VEZES A VIDA NOS RESERVA ALGUMAS DECEPÇÕES

 

Se é verdade que a vida nos reserva muitas alegrias,
tambem é verdade que nos prepara muitas decepções,
e precisamos estar preparados para elas...
Afinal, são coisas da vida...
Osculos e amplexos,
Marcial

ÀS VEZES A VIDA NOS RESERVA ALGUMAS DECEPÇÕES
Marcial Salaverry      
                        
É uma verdade indesmentível aquela que confirma o fato de que por vezes a vida nos reserva certas decepções bem doloridas, mormente para certas mães que depositaram suas esperanças na criação de seus filhos, confirmando o ditado que  diz que o amor de mãe é cego, e a tudo perdoa, porque para as mães de modo geral, suas crianças sempre serão perfeitas, e nada farão de errado. Muitas vezes chegam a fechar os olhos para não verem certas barbaridades cometidas por seus rebentos, sempre procurando atribuir a culpa a terceiros, as eternas "más companhias"...

Mas tal julgamento, que é um tanto quanto falho, pois todas as pessoas são passíveis de erros (nossos filhos inclusive), não é “exclusividade maternal”, pois todos nós temos uma tendência natural para jogar com dois pesos e duas medidas, dependendo de quem cometeu este ou aquele erro, se é alguém de quem gostamos ou não. E invariavelmente faremos o prato pender a favor do lado que conta com nossa simpatia. Sempre com a tradicional frase: Fulano eu conheço, é gente de bem. Agora o outro...

 A simpatia pessoal sempre poderá atrapalhar qualquer julgamento. Nossos amigos serão incapazes de atos falhos. E nem sempre tal maneira de pensar estará correta, pois é necessário que haja isenção de ânimo para que se possa julgar quaisquer atos.
 
Aliás, isso é reconhecido pela Justiça, quando da escolha dos jurados que irão decidir os destinos de algum réu. Eles não podem sequer ser conhecidos remotos da pessoa a ser julgada.

Recebi de L'Inconnu, uma frase que vem bem a propósito:
"As pessoas de que mais gostamos, são as que mais nos decepcionam, pois pensamos que são perfeitas e esquecemos que são humanas."

E isso é algo que jamais poderemos esquecer, pois o erro é inerente à nossa condição humana, e isso tanto é verdade, que está explicito na frase: "Herrar é umano...", ou será "Errar é humano?" Afinal, tambem sou humano, e posso herrar...
 
Todos somos sujeitos a fazer alguma besteira. Todos somos basicamente honestos, mas muitas vezes a tentação é forte demais para nossa condição humana, e poderemos cometer algum deslize. Os outros erram, ou fazem sacanagem, nós, ou nossos amigos apenas cometemos eventuais deslizes.  Imbuídos dessa certeza, saberemos que aqueles a quem amam também estão classificados como humanos, e passíveis de erros. Mas quando estes acontecerem, nossa decepção sempre será dobrada. E assim, podemos nos recusar a aceitar que certas figuras que chegamos a idolatrar, possam ter prevaricado, usando do poder para enriquecer ilicitamente, não querendo ver em que condições sua fortuna apareceu... E como acontece isso...
 
Essa falha de julgamento é um dos erros que mais frequentemente cometemos. Muitas vezes preferimos encobrir coisas erradas, pelos laços que nos ligam a pessoas culpadas, e esse não é um procedimento correto, pois nada mais justo do que aquele que errou, pagar por seus erros, seja ou não alguém de nossas relações. Seja ou não alguém que um dia idolatramos, julgando ser perfeito, e na verdade, é tão ruim ou pior que o pior dos malfeitores...
 
Àquele que disser que jamais cometeu um ato falho, ou alguma infração, direi estar diante de alguém que não nasceu ainda, ou então de um grande mentiroso que, por sua mentira está incorrendo em nova infração.
 
Não é somente de crimes, roubos, peculatos, adultérios, apropriações indébitas, recebimento de propinas, desvios de verbas, cujas punições estão previstas pelo Código Penal, que é composto o mundo de “crimes” usualmente cometidos.
Também podemos falar em “cola” nas provas escolares, subornos de guardas de transito, mentiras contadas aos pais, irmãos, chefes, conjugues, etc... E assim vai... Todos sabemos o que já fizemos na vida. Portanto, perfeição não existe. E o fato de também sermos passíveis de erros, confirmando o célebre ditado: HERRAR É UMANO, automaticamente não nos dá direito de julgar aqueles que desejamos condenar.  Podemos, quando muito criticar quem acreditamos estar errado, sujeitando-nos a receber criticas por nosso procedimento.
 
Assim sendo, vamos dar a todos o direito de errar, desde que não sejamos prejudicados, pois nesse caso, temos o direito de defender nossos direitos. Mas, fica a ressalva. Uma coisa é criticar e procurar defender nossos interesses na ameaça de sermos lesados, outra coisa é condenar sumariamente aquele que errou.  Por sermos igualmente “umanos”, e portanto sujeitos a “herros”, não temos o direito de julgamentos sumários, e crucificar quem quer que seja, até mesmo um presidente bêbado... Quem nunca tomou alguns pileques na vida?
 
Todo e qualquer crime deve ser apurado, e julgado por quem de direito. E por mais que demore, o erro deverá ser pago com juros de moro, digo, de mora...
 
Indiscutivelmente uma vez apurada a culpabilidade daquele por quem brigamos um dia, apenas por ser uma pessoa querida, aumentará nossa decepção. E deveremos saber aceitar essa punição para quem prevaricou...
 
Assim, vamos pensar em nossos “herros umanos”, sempre procurando ter UM LINDO DIA, ao invés de comete-los.

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados