DEFININDO A MULHER MADURA

 

DEFININDO A MULHER MADURA
Marcial Salaverry

 

Para algumas mulheres, a chegada na famosa maturidade pode ser meio traumática, ou não, dependendo de sua maneira de enfocar a vida. Ou melhor, de como a viveu até chegar nessa famosa encruzilhada, cujo marco pode ser aos 40, 50, ou 60, diferindo de mulher para mulher.

Em sua adolescência, sentia-se fervilhante de paixões, acreditando que o amor sempre seria a base para tudo. Algumas vezes, entregando-se a algumas paixões inconsequentes, nas quais julgava estar seu futuro.

Quantas vezes julgou estar irremediavelmente apaixonada, e ficava terrivelmente frustrada se seu amor não era correspondido. E quantas vezes não soube ver que a seu lado havia alguém que a amava... Coisas da vida, incoerências da juventude, que muitas vezes não lhe permitiu uma visão boa da vida.  E como isso não a deixou sentir a vida em sua plenitude, terminou por sentir-se insegura quanto à vida.

Depois, mais segura de si, começou a passar possíveis pretendentes a um julgamento implacável, procurando fazer com que eles até se cansassem de correr atrás dela. Continuava procurando aquele que poderia faze-la feliz. Aquele que seria o dono de seu coração. Teria que ser como ela idealizara o homem perfeito. E foram muitos rejeitados, mas finalmente após ter descoberto não existir o homem perfeito, resolveu encerrar a espera, e começou a busca a um companheiro, que fosse ao mesmo tempo um amante ardoroso, e um amigo fiel.

E descobriu que esse tipo de homem é meio difícil de encontrar, e foi aí então, que entendeu, o que realmente é ser uma mulher madura. É aquela que sabe aceitar a vida como ela se apresenta, sem se amargurar com o fato de ter ou não encontrado seu companheiro ideal, pois descobriu que a melhor companhia que tem, é ela mesma.

Ela saberá fazer-se feliz. Ela saberá o momento de viver ou não uma aventura, sem se preocupar se poderá estar encontrando o “companheiro ideal”. Ela saberá, enfim, viver a vida em sua plenitude, usando seus atributos de mulher para escolher o tipo de vida, e a companhia que melhor lhe convier, não aceitando alguém que não lhe agrade totalmente, “apenas para não ficar só”.  Saberá como é gratificante viver, aceitando simplesmente, VIVER A VIDA.

Essa é realmente, a mulher madura, que poderá preencher os sonhos de qualquer homem inteligente o suficiente para apreciar sua companhia, sabendo respeita-la e amá-la com seus defeitos e virtudes, e que seja capaz de conseguir ser amado na mesma proporção de seu amor...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados