A EFEMERIDADE DO AMOR

 


A EFEMERIDADE DO AMOR
Marcial Salaverry

Nem sempre um amor perdura. Por vezes algo acontece, o encanto que existia se quebra, e o amor termina. Algumas vezes bilateralmente, mas na maioria dos casos, apenas unilateralmente.
No primeiro caso, geralmente existe um acordo tácito, e o relacionamento termina numa boa, naturalmente, pois o amor não estava firme, e não resistiu ao tempo, ou a alguns contratempos.
Mas quando o amor termina unilateralmente, um lado sempre sofre, pois ao perceber que perdeu o amor de quem ainda ama, vem sempre aquele gosto triste na boca, e quem já passou por isso, é que pode dizer.
Apenas uma atitude cabe nesse caso. Mesmo que doa, é melhor aceitar o fim de tudo, do que viver uma vida em cima do muro, na expectativa de que a situação possa reverter.
Amor sempre deve ser encarado como coisa séria, ou existe, ou não existe. Quando é assim encarado, mesmo que o amor termine, pode ficar uma amizade. Não de terminar com inimizade. É triste ver pessoas que chegaram a se amar, passarem a se encarar como inimigos.
Havendo diálogo, aceitação e respeito, sempre a amizade pode permanecer.
O amor quando é sincero, não fere, não magoa, não é egoista. Em verdade, o amor é cumplicidade, é troca. É doação.
O amor pode acabar,  às vezes, por desgaste, provocado por uma rotina na convivencia do dia a dia, ou quando um dos parceiros encontra outra motivação na vida.
Mas mesmo que um dos parceiros continue amando, ninguém morre por se separar, pois a vida continua e tem sempre algo ou alguém que poderá aparecer e traga nova motivação para prosseguir vivendo normalmente, com um novo relacionamento.
A auto estima não pode jamais ser perdida. Ninguém pode sofrer por se considerar culpada pelo fim do amor. Simplesmente aconteceu. Não será o primeiro amor que acaba, e nem tampouco o último.
E mesmo que não encontre outro alguém, deve procurar forças naquela simpática pessoa do outro lado do espelho. Ou em um filho. Ou em uma amizade leal e sincera.
Quando se pergunta como um amor acaba, ninguém saberia explicar, pois cada caso é um caso, e é algo que acontece muito rápido e quando se dá conta, ele simplesmente acabou.
E a pergunta que não quer calar, e que ninguém sabe responder, é esta:Por que relacionamentos durante muito tempo estáveis um dia acabam?
Pensem nisto.
E enquanto isso, vamos ter UM LINDO DIA.


 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados