UM TEMA TEMIDO... SEXUALIDADE E ORGASMO

 

Com certeza é uma das melhores coisas da vida...
E como é desconhecido...
Osculos e amplexos,
Marcial
 
UM TEMA TEMIDO... SEXUALIDADE E ORGASMO
Marcial Salaverry

Quando se fala em sexualidade, naturalmente sempre é preciso igualmente tentar definir o tal do orgasmo, e este assunto realmente deixa muita gente atrapalhada, pois sempre este tema provoca certas inibições, e, na realidade, não entendo porque se considera tabu, ou "coisa proibida" abordar-se tais assuntos, que na verdade, nada deveriam ter de proibido, por representarem parte natural da vida, mas sempre se abaixa a voz e olha-se para os lados antes de se falar sobre isso. "Psiu... As crianças não podem ouvir"... Por que não podem? Elas deveriam ser as primeiras a serem elucidadas sobre os mistérios do sexo e seus orgasmos múltiplos, e deveriam aprender dentro de casa, sua teoria, do que faze-lo fora de casa na prática.
Como o objetivo é apenas elucidativo e não científico, não vou explicar cientificamente o que é o orgasmo. Para isso existem dicionários (basta consultá-los).  Apenas quero dizer que o orgasmo é o complemento ideal total e completo do ato sexual, uma vez que, sem orgasmo, a coisa fica incompleta. Fica aquele gosto de não sei o que no ar. E fica a pergunta... "Será que foi bom mesmo?".
Como? Você não sabe o que é orgasmo? Nunca teve? Bem, nesse caso é preciso então que você reaprenda o ato sexual, porque certamente está fazendo alguma coisa errada, ou está deixando de fazer algumas coisinhas importantes.
Para que o sexo possa apresentar o epílogo desejado, que é o prazer total, é necessário que os parceiros se conheçam bem intimamente. Para que esse conhecimento seja alcançado, é que existem as preliminares, indispensáveis para que um simples ato sexual, seja um gratificante ato de amor, e o ideal é que o orgasmo seja de ambas as partes, é meio dificil que seja simultaneo, mas o ideal é que o seja.
Carícias devem ser trocadas, a ação das mãos, dos lábios, da lingua, é muito importante para a descoberta dos pontos chamados erotizantes. Nada melhor do que uma massagem, digamos didática, apenas para descobrir mutuamente como ambos gostam de ser tocados. Os pontos sensíveis diferem tanto no homem como na mulher, bem como de pessoa para pessoa.
Meu querido guru L’Inconnu brindou-me com uma pérola a respeito do assunto. Uma mensagem de grande sabedoria. Vejam: 
 "Amar é uma arte que se aperfeiçoa a cada gesto."
Sem qualquer sombra de dúvida. Quem ama de fato, sempre vai procurar saber como agir para agradar quem está a seu lado. Como tocá-la. Como beijá-la. Como acariciá-la. E principalmente, como excitá-la. Tem que ter sensibilidade para captar as mensagens que o corpo amado lhe transmite, pois nem todo mundo consegue falar como gosta. Geralmente algumas inibições atrapalham, impedindo que os amantes digam como preferem que tudo ocorra para que haja o prazer total. E isso tem que ser descoberto na hora. E haja sensibilidade.
Daí a importância de uma bem elaborada preliminar, para que o jogo principal não vá para a prorrogação, ou decisão por pênaltis. Nessas preliminares é que o desejo será ou não aceso, e é onde se define se haverá ou não orgasmo.
Existe outro fator a ser considerado, pois muita gente considera que o desejo sexual é apenas uma manifestação orgânica. Ledo engano. O desejo é uma questão de "querer fazer" aquilo. E para que se queira fazer, o desejo tem que ser estimulado. E para que haja esse estímulo, as preliminares são muito necessárias.
Há que se notar também que, seja por inibições vindas da maneira com que foram criadas, seja por quais razões existam, as mulheres não reagem da mesma maneira que os homens ao estímulo sexual. Elas sentem muito mais do que os homens a necessidade de sentir o toque das mãos. De sentir que seu parceiro a deseja, de sentir que é desejada, de sentir que, pelo menos naquele momento, está sendo amada. E se o parceiro não tem essa sensibilidade, não consegue transmitir-lhe esse sentimento, fatalmente ela não conseguirá chegar ao tal do orgasmo. E não sentirá a plenitude do ato sexual. Não será, então, um ato de amor. Será simplesmente um encontro de sexo, mas não de amor.
Então, crianças, o orgasmo é simplesmente o complemento de um ato de amor bem praticado, em que houve uma comunhão de sentimentos entre os parceiros.
Existe uma série de fatores ainda a serem analisados, pois sempre cada caso será um caso a parte. Por vezes é o homem que não sabe estimular a parceira. Por vezes é a mulher que por não estar preparada, não sabe estimular o parceiro, ou pelo menos, não sabe dizer para ele como gosta de ser tocada. Seja qual for a razão, apenas o mútuo conhecimento poderá vencer essas barreiras. Apenas um diálogo franco para vencer as inibições.
Torcendo pela descoberta ou redescoberta do prazer sexual, desejo a todos UM LINDO DIA.

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados