O ENCONTRO DE DUAS ALMAS PREDESTINADAS

 

 
O ENCONTRO DE DUAS ALMAS PREDESTINADAS
Marcial Salaverry
Por vezes duas criaturas se encontram, e sentem uma atração inexplicável à primeira vista, ao primeiro olhar, ao primeiro toque, e ainda não entendem que pode ter sido um encontro marcado lá do outro lado, em outra época, quando o amor não foi possivel, e onde suas almas pactuaram voltarem, encontrarem-se, quando então poderiam completar seu Destino, sua missão,  e assim, quando as almas se encontram, o amor explode como um vulcão em plena erupção.
Este amor chega sem ter dia marcado ou momento marcado para acontecer, simplesmente chega, e se instala, criando uma verdadeira orgia de sentimentos alegres, que modificam todos os propósitos e conceitos até então firmados, modificando as existências, com a força do Destino.
O encontro de duas almas tem como foco principal, não a aparência física, mas a semelhança havidas entre elas, o que o Destino  a elas reservou, o quando, o como e o porquê.
Certamente existem momentos de tristeza, por uma dúvida que machuca, que gostaria de saber porque não se encontraram antes, ainda mais quando o momento desse encontro acontece quando não é mais possivel extravasar toda a plenitude do amor que trazem, quando não é mais possivel viver a alegria de amar e querer compartilhar a vida com o outro. Enfim, como se sentem sem a possibilidade de realizar este amor em total plenitude, sentem uma saudade doida e doída uma da outra.
Uma saudade doída de algo vivido em outras vidas, saudade daquilo que poderia ter sido, mas que por alguma razão não o foi.
Reconhecem porém que não haverá retorno para suas pretensões, e mesmo estando distantes, entendem a alegria, a tristeza, o querer um do outro.
Estas almas falam além das palavras, e aliás, delas não precisam, pois se comunicam, se encontram, se amam pelo éter, pelo espaço sideral. São encontros etéricos.
Se o reencontro ocorrer no tempo certo, estas almas afins se entrelaçam e buscam a forma de juntas ficarem, num processo contínuo de reaproximação até a consumação do resgate daquilo que vieram cumprir.
Se diferente for, se o reencontro ocorre num espaço tempo diferente do que suas realidades possam permitir, ainda assim estas almas ficam marcadas, e nunca conseguirão se separar, mesmo que os corpos se separem, elas continuarão a se sentir, pois almas que assim se encontram não mais se sentirão sozinhas, pois reconhecerão a necessidade que tem uma da outra para toda a eternidade.
São almas que atravessam os tempos, as muitas passagens, buscando o resgate final de seu amor, até que em determinada passagem conseguem cumprir o resgate, tendo então seu descanso final, quando conseguem cumprir seu Destino e viver enfim, o AMOR.
 

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados