A VIDA COMO ELA É

 

Não se assustem, crianças, não vou contar episódios do grande Nelson Rodrigues. Simplesmente estou "roubando" o título, pois recebi uma mensagem muito interessante, também de autoria do meu grande e prezado amigo L'Inconnu (já está ficando famoso), e que fala justamente sobre a vida. E quem não quer conservar a sua?

"As páginas da vida são cheias de surpresas... Há capítulos de alegria, mas também de tristezas, mistérios e fantasias, sofrimentos e decepções...

Por isso, não rasgue páginas e nem salte capítulos, não se apresse a descobrir os mistérios. Não perca as esperanças, pois muitos são os finais felizes.

E nunca se esqueça do principal: NO LIVRO DA VIDA, O AUTOR É VOCÊ!"

É um texto que incita à meditação, e que exige alguns comentários.

Fala das surpresas da vida. É justamente nessas surpresas que está o gosto real pela vida. O não sabermos o que nos reserva o dia de amanhã, é que nos faz sentir a necessidade de viver intensamente o dia de hoje.

Da mesma maneira que recebemos com enorme prazer todas as alegrias que ela nos proporciona, seja com encontros felizes, seja sabendo que nossa saúde está perfeita, ou até mesmo com a prosaica megasena acumulada, devemos saber receber as contrariedades que fatalmente teremos, com algum pequeno acidente, com algum azar qualquer, e até mesmo descobrindo que não temos mais "aquele amor que nos abandonou".

Não se deve jamais maldizer os azares que acontecem, pois são simplesmente conseqüências da vida.

Claro que nunca iremos receber um contratempo com prazer... aí já seria masoquismo...

Mas também não com desespero. Simplesmente com naturalidade, e sempre procurando tirar alguma lição para o futuro. Algo que não deu certo, não deverá mais ser repetido.

L'Inconnu fala também sobre as etapas da vida. Com muita propriedade, diz que não devem ser saltadas. Concordo, pois cada época deve ser vivida a seu tempo. Crianças na infância, adolescentes na mocidade, adultos na maturidade.

O que ocorre atualmente, é que muitas crianças não estão tendo uma infância infantil. Estão sendo induzidas a agir como "mocinhas e mocinhos" desde a mais tenra idade. Esta etapa da infância, principalmente, vai fazer muita falta no futuro.

Devemos deixar que as crianças vivam de acordo com sua idade. Por que vesti-las, maquiá-las e "empurrá-las" para a fase de "mocinhas e mocinhos".? Não seria melhor esperar que o tempo vá se encarregando de mostrar-lhes as etapas diversas da vida?

Deixemo-las ser crianças, para que não venham mais tarde a lamentar o tempo perdido.

Agora o final da mensagem é que realmente faz pensar: No livro da vida, o Autor É VOCÊ.

Sem qualquer sombra de dúvida. Somos os autores do livro de nossas vidas. Da maneira como chegaremos às etapas finais, dependerá da maneira como vivermos as etapas anteriores.

Se levarmos uma vida normal, evitando vícios perigosos, fatalmente teremos uma maturidade e uma velhice em boas condições. Muitos jovens se esquecem o tempo de vida que ainda lhes resta, e atiram-se com fúria à necessidade de "viver o presente".

Sem dúvida, que o presente deve ser vivido e aproveitado (é um presente que recebemos), mas sempre deveremos ter um olho para o futuro, pois a maneira como esse presente for desfrutado, vai determinar como será o que ainda está por vir... que é o porvir... Então certos exageros devem ser controlados, certas atitudes devem ser medidas, os vícios devem ser evitados. Não quero com isso dizer que todos devem virar santos. Claro que não, tal atitude de beatidão também não é saudável. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

Devemos viver a vida, aproveitando seus prazeres, mas sempre pensando no futuro, planejando-o de uma maneira a que possamos aproveitá-lo como estamos aproveitando o presente, de uma maneira saudável e prazerosa. O segredo da vida, está em saber vivê-la.

 

A simpática vovozinha, explicando para os netinhos de 4 e 5 anos, que quem os trouxe, foi a cegonha. O menorzinho cutuca o outro e pergunta: E aí mano, contamos a verdade pra ela? E o outro: Não... pra que estragar a inocência da velhinha???

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados