NOVOS RUMOS

 

NOVOS RUMOS

Marcial Salaverry

 

Sem dúvida alguma, a decisão mais difícil que encontramos pela frente, é quando descobrimos que chegamos a uma espécie de nada no caminho que vínhamos percorrendo, e temos que decidir sobre novos rumos a tomar.

Sempre é complicado quando olhamos para trás, e vemos que temos de jogar fora muito do que fizemos com amor e dedicação.

Mas que dificuldades podem levar um projeto em que foi posto tanto amor, tanta dedicação a se desmantelar?

Existem diversos fatores que podem se interagir, entre os quais, poderemos destacar a ambição desmedida de alguns envolvidos, que não titubeiam em jogar por terra um trabalho feito com lisura e correção, só para beneficiar seus interesses pessoais.

Quando se chega nesse ponto conflitante, é chegado o momento de se passar uma borracha em tudo, mesmo que nos custe muito fazer isso.  Convenhamos que não é fácil para ninguém abrir mão de sonhos que já estavam ao alcance das mãos.  E saber que, mais uma vez, interesses espúrios acabam levando a melhor sobre a seriedade.

As pessoas, pelo menos as mais fracas, sempre preferem seguir os interesses financeiros do que os ideais.  E é muito triste isso.  Aconteceu algo semelhante com um grande amigo nosso.

Lamento profundamente quando fatos assim ocorrem.  Infelizmente já vi esse filme muitas vezes, e agora mais uma, envolvendo um de nossos amigos muito queridos.

Assim sendo, o que posso recomendar a esse amigo é que reuna todas as forças que tiver em seu interior, conseguindo assim deixar o ideal irrealizado e agora irrealizável para trás, e que mostre a você mesmo e a todos os envolvidos, sua força interior.

Com espírito forte, o melhor é desejar a esses que não souberam enxergar a pessoa que você é, que tenham sucesso na empreitada, pois nunca devemos desejar o mal a ninguém. 

Por seu lado, busque os novos caminhos que você tem pela frente que sem dúvida alguma em curto prazo estarão lhe rendendo todas as satisfações que você esperava encontrar no outro projeto.  O que não lhe falta é capacidade para isso.

O mais importante, é não se deixar abater, pois a ingratidão e a injustiça realmente ferem, mas sempre são provas a que somos submetidos para mostrar a têmpera de que somos feitos.  E sempre mostra-se mais valor saindo de um buraco negro para um raio de sol.

Aos demais amigos peço desculpas por este desabafo, mas realmente precisava mostrar a essa pessoa todo o apoio e carinho que lhe podemos oferecer.

Falando em sentido geral, desejo passar esta mensagem de força. Por mais que injustiças nos prejudiquem, sempre temos que buscar a reação em nosso interior.  As forças tem que ser arrancadas nem que seja a "fórceps".  O que nunca pode acontecer, é nos deixarmos abater pelos azares da vida, por piores que sejam os tombos que levarmos.

As maiores vitórias foram conseguidas depois de uma queda.  É só querer reagir.

Disso tudo, fica uma grande lição para todos.  Há que sempre se colocar bem plantados os pés no chão quando se vai decidir por um novo rumo, um novo caminho. Tem-se que ver o lado prático das coisas, pois só sonhos e idealismos não enchem barriga de ninguém. Há que se planejar com discernimento sobre caminhos a serem seguidos.

Só desejo lembrar dois pensamentos que se encaixam no caso:

De Michael Cibenko: Um problema que surge quando olhamos muitas vezes para o passado é que podemos nos virar e ver que o futuro nos deixou para trás.

De Roberto Shinyashiki: Quando alguém se dedica a alimentar ilusões, perde oportunidades.

Pensem nisso.

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados