A HISTÓRIA DA DAMA DE VERMELHO

 

A HISTÓRIA DA DAMA DE VERMELHO 
Marcial Salaverry

Cansada da mesmice de sua vida conjugal, Lucimara depois de assistir ao filme A Dama da Tarde, resolveu seguir o exemplo, e quis viver certas aventuras "para dar mais gosto à vida...", também pensando em ganhar um "reforço de caixa...", para comprar algumas coisinhas que desejava ter...
Essa tal da Lucimara, na verdade, não tinha vergonha na cara, e sob pretexto de melhorar de vida, resolveu ser "mulher da vida", como a  tal de Bela da Tarde, fazendo as coisas sem alarde...
Despertando sua sensualidade, achou que a cor vermelha combinaria melhor com seu tipo e seu desejo, e foi experimentar essa emoção.
E logo, atraida pela facilidade com que o dinheiro entrava, mais e mais se dedicava à profissão, pois além do prazer que sempre sentia com suas "escapadas", mais as queria dar, e  assim, cada vez mais se afundava nessa chamada "vida fácil", e Alfredo seu marido, descobriu como o dinheiro entrava, e assumiu sua posição de "corno manso", pois vendo que sua mulher faturava sem descanso, resolveu também se aproveitar, e até deixou de trabalhar...
E assim foram vivendo uma boa vidinha, ela, com o corpo faturando, e ele de seus ganhos se aproveitando, achando interessante sua posição de corno, sempre 
tendo sua compensação, mas uma situação complicada acabou sendo criada, pois um dia ela se envolveu com um cliente que era um bandido da pesada, e resolveu abandonar Alfredo para cair de vez num mundo ainda mais emocionante...
Só que acabou sendo baleada numa troca de tiros de seu novo amor com a policia...
Mas o bom Alfredo vestiu-a com o famoso vestido vermelho para sua última morada, e ele ainda se beneficiou com o seguro de vida que havia feito para a mulher, colocando-se como beneficiário...
E assim termina a história de Lucimara e Alfredo, que acabou encontrando Maura, que por acaso também gosta de vestido vermelho...

 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados