UMA LONGA TARDE DE ESPERA

 

UMA LONGA TARDE DE ESPERA
Marcial Salaverry
 
Ao se despedir, na véspera, Juliano disse para Juliana, sua amada, que chegaria no início da noite do dia seguinte, e antes de partir já estava com saudade.
Carinhosamente, Juliana disse que iria recebe-lo com uma surpresa, pois na espera pela chegada do amor, as horas passam lentas, por demais vagarosas, principalmente quando existe o desejo, curtindo do amor a emoção, com sensações  tão  pecaminosas dominando o coração...
Para melhor suportar a espera, Juliana resolveu fazer algo que sabia ser um desejo de seu amado, e munindo-se de suas agulhas, lembrou-se de algo que sua mãe lhe havia ensinado, e principiou a tricotar um cachecol, pois ela sabia que Juliano iria ficar feliz com a lembrança, principalmente por ser algo feito por suas mãos.
Como a tarde estava muito agradável, ela sentou-se à sombra de um frondoso pé de manacá, e com todo o carinho do mundo, estava colocando seu amor nesse cachecol, pois ele dissera a ela que chegaria ao iniciar da noite,  pois ainda teria algumas horas de estrada, e essa distância acaba transformando a espera em um autentico tormento, mas também  faz despertar mais ainda a paixão, o desejo pela presença amada...
Os minutos  passam lentos, e o cachecol vai tomando forma, e ela consultava o relogio, o tempo se arrasta, aumentando a expectativa pela reação de Juliano, pois ela nunca dissera que sabia tricotar, e sabia ser um sonho dele usar algo feito por ela... Cada vez mais ansiosa,  diz em voz baixa: "Amor,  espero-te, e assim vamos nos amar, meus lábios estão ansiosos por teu beijo, e cheio de desejo, meu coração  quase não resiste a essa forte emoção..."
Juliano contava chegar mais cedo do que dissera, mas um congestionamento na estrada provocou um atraso, e seguia pensando em voz alta numa espécie de conversa com Juliana, fazendo planos para a vida que espera ter com ela, dizendo mentalmente;"Querida, quando nosso futuro antevejo, sinto quase  uma alucinação dominando meu coração, pois quero estar sempre contigo, e guardo tua  imagem comigo, pois viver sem ti não consigo..." "Estou doido para saber qual a surpresa misteriosa que ela pode me oferecer..."
 
Ela ainda não havia terminado o cachecol, quando ouviu o relógio anunciando seis horas da tarde, e sentiu seu coração se acelerar, como que anunciando que ele estava chegando... Desviou os olhos por um segundo do tricô, e viu o carro entrando pelo portão, e com as agulhas ainda na mão, recebe-o envolvendo seu pescoço com cachecol feito com tanto carinho, algo que deixou Juliano emocionado, ao ver que ela tivera quase que o dia todo fazendo a surpresa com que o recebera, e que tanta felicidade lhe deu...
 
E assim, ei-los vivendo o amor tão esperado, estão se  amando, finalmente, entregando-se a seu amor apaixonante, e o resto da noite será testemunha desse encontro apaixonante e apaixonado...
E sempre querendo ao amor entregar-se, as saudades nunca serão permanentes, pois a cada espera, sempre haverá uma chegada, eis que é assim vivido um amor verdadeiro.
 

 

Marcial Salaverry


[Voltar]

© Copyright Prosa & Poesia - Direitos Autorais Reservados